Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

14.Mar.18

Palavras Cruzadas || Aquele brinquedo que eu sempre quis

P.A
Estávamos algures na década de 90. O ano não sei ao certo. Lembro-me sim que acordava sempre cedo aos fins-de-semana. Pela manhãzinha. Mesmo naquelas manhãs que dói acordar, eu estava lá. Mais ou menos agasalhado, lá estava eu a carregar no botão da TV às 7:30 em ponto. Acordava sempre com sede. Muita sede.   Muita sede de desenhos animados. Mas também por aqueles anúncios sempre temáticos plenos de bonecos e brinquedos novos feitos à medida para nos obrigar a fazer (...)
28.Fev.18

Palavras Cruzadas - Ser convidado para um casamento

P.A
Novo ano, novos casamentos.Tudo normal.Estamos em Fevereiro e fui convidado para um casamento.Mas desde que um bouquet de noiva mudou a minha vida e me tornou exactamente na mesma pessoa, só que com um blog para alimentar, que passei a receber os convites com um sorriso "diferente" na cara.Em criança ir a um casamento era como ser um anexo de uma casa. Os protocolos formais de apresentação, limpeza impecável e as facturas chatas da electricidade e água, eram todas responsabilidade (...)
12.Jul.17

Vai acima e vai abaixo, vai ao centro e vai para dentro!

P.A
Como podem ter deduzido pelo título de hoje, venho falar-vos de algo muito comum na nossa sociedade:  Como os nossos vizinhos se reproduzem Mentira. Estava a brincar. Vou falar-vos de bebidas e como elas nos acompanham ao longo de 4 fases da nossa vida, até sairmos da faculdade.Mas assim teve mais piada. Primeira fase -  primeiros tempos de vida de um ser humano Quando nascemos a ementa de bebidas é bastante restrita e dependente essencialmente da disponibilidade maternal, em (...)
30.Mai.17

Difícil isto? Isto para nós são Spinners

P.A
Na minha altura uma pancadinha nas costas e um ligeiro cafuné no totiço eram as duas prendas mais frequentes no dia da criança. E a malta até ficava contente com aquela demonstração inesperada de afecto do progenitor.Talvez por isso me tenha identificado tanto com a Floribella. Não pelo vestuário que, embora aprecie, não me assenta bem, mas por aquela riqueza toda em sonhos e nada na mão. Fazia-me sentido na altura. Ontem na rua numa das minhas caminhadas pedonais, verifico (...)
07.Dez.16

"Broas" Memórias

P.A
Caríssimos,   hoje trago-vos algo um bocadinho "mais meu". Uma memória.   Tal aconteceu, era eu ainda um miúdo. Era verão. E todos os verões, existia o hábito de, juntamente com os meus pais, irmos conhecer uma zona mais escondida de Portugal. Quando digo mais escondida, falo de Alto Minho, Trás-os-Montes, Beiras, no fundo, zonas mais fronteiriças do nosso Portugal com Espanha que, nas nossas voltas de dia-a-dia na capital, não estavam logo ali ao lado para se visitar.   Esse (...)