Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

10.Out.18

E se o seu Smartphone falasse?

Antigamente era a porteira do nosso prédio quem sabia tudo sobre nós. A que horas saíamos, a que horas chegávamos, com quem falávamos e até que roupa interior usávamos, principalmente quando lhe caíam as ditas peças no terraço do R/C.

Hoje em dia, a porteira foi substituída. Chama-se smartphone.

A principal diferença entre uma porteira de língua bem afiada e o nosso smartphone, é o PIN.

As porteiras padecem de graves falhas de segurança. O PIN veio acabar com isso.

E talvez por esse upgrade, elas tenham vindo a desaparecer e os smartphones para ficar.

Mesmo que a bateria delas dure mais.

 

Ao contrário das porteiras, que estudaram todas na mesma escola de investigação pessoal, os smartphones são únicos.

Adaptam-se ao utilizador.

Por exemplo, um Smartphone de um idoso passa o dia a informar "Pin errado, tente novamente por favor", enquanto que o de um informático vive no limite da "Bateria Fraca".

Já o do Chef Ljubomir fica bloqueado num constante "Tem a certeza que pretende utilizar um palavrão? Pretende desligar o controlo parental?" e o do ZeZé Camarinha não pára de avisar "O Tinder está a consumir demasiada bateria, pretende desligar a aplicação?".

 

Mas além de se adaptarem formidavelmente a cada um de nós, o que é certo é se falassem, na realidade, teriam bastante para desabafar:

  1. Só eles sabem como realmente ficamos mal nas fotos, sem filtros do Instagram.
  2. Só eles sabem verdadeiramente quem são as pessoas que escrevem "fizes-te" antes do corrector actuar.
  3. Só eles sabem a primeira versão da mensagem furiosa que íamos responder, depois apagámos, e substituímos por "lol"
  4. Só eles sabem que aquele like na foto em biquíni da melhor amiga da tua namorada foi "sem querer".
  5. Só eles sabem que não tiraste esse mesmo like daquela foto em biquíni, porque seria dar nas vistas. E afinal de contas foi "sem querer".
  6. Só eles sabem na realidade em quantos grupos do whatsapp estás. Esta nem nós sabemos.
  7. Só eles sabem que afinal viste a chamada do teu chefe, mas disseste que estava sem som.
  8. Só eles sabem que aquela frase romântica que acabaste de escrever, foi na realidade um copy paste de um site foleiro de frases de engate.
  9. Só eles sabem que quando desmarcaste aquele jantar com a Nádia, não foi por estares doente, mas sim porque quando foste ao calendário marcar já lá tinhas marcado para o mesmo dia, um jantar com a Mariana.
  10. Só eles sabem se foste ao Google ver como se escrevia Ljubomir para poderes escrever no teu blog.

 

Por isso, pelo sim pelo não, não digas o teu PIN a ninguém. OK?

Só se tiveres saudades da tua porteira.

 

De qualquer forma, mesmo com PIN, tem cuidado. Ainda há por aí algo pior que a porteira do antigamente:

 

A escuta.

 

 (imagem)

 

P.A

 

___________

Este foi o 22º texto da rubrica Palavras Cruzadas, criada em parceria com a Rita da Nova. A ideia é irmo-nos desafiando uns aos outros através da escrita e escrevermos sobre temas que saem um pouco da nossa zona de conforto ou registo. Mas não só entre nós! Vocês também podem sugerir temas e escreverem também se gostarem das sugestões!

Este tema foi sugestão da Rita, vejam o que ela  escreveu no blog dela! 
Para o próximo Palavras Cruzadas, proponho falar de uma comemoração que está aí a chegar: O halloween.



2 comentários

Comentar post