Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Este Natal vi o Sozinho em Casa e não fez sentido

É verdade.

Não foi planeado. Aconteceu.

Este Natal tive o azar de ficar num lugar da mesa virado para a TV e de repente dou por mim a assistir a um dos filmes mais Natalícios de sempre. Não consegui evitar.

Eu sei que parece uma desculpa esfarrapada de um viciado em filmes que batem, mas prometi a mim mesmo que não faria aqui qualquer tipo de piadas, nem drogas nenhumas sobre o Macaulay Culkin.

 

Na realidade, nem foi o primeiro Sozinho em Casa. Foi a sequela. A SIC assim o ditou.

E foi exactamente por isso que pela primeira vez parei uns instantes e pensei no que se passa realmente neste filme de 1992.

 

E se o Sozinho em Casa fosse em 2018? Já pararam para pensar?

Provavelmente nem haveria sequela! Primeiro porque existe agora uma coisa chamada telemóvel. O rapaz ligava a descompor a mãe e já não ficava sozinho em casa.

Depois, mesmo sem telemóvel, a TVI descobria a situação, fazia uma grande reportagem em horário nobre sobre a problemática do abandono de menores e a mãe da criança era prontamente detida por negligência em 1º grau. Fim! Sozinho em casa 1 resolvido. Acabou a festa.

Nem haveria tempo para assaltos a moradias.

Ainda por mais, estamos a falar de uma mãe que já tinha a seu cargo 8 crianças! Já deveria estar mais do que sinalizada pela Segurança Social.

É o país que temos.

 

Mas voltando ao filme e ignorando o facto de nesta sequela a mãe voltar a "perder" exactamente o mesmo filho em 8, o que induz que se calhar até nem é assim tão involuntário da parte dela perder aquele, vamos tentar analisar o comportamento deste menor que vive sem qualquer tipo de referências parentais.

Primeiro, e isto tem de ser dito: O pai é um banana. É verdade! Tem 2 falas em cada filme.

A mãe por sua vez fala muito. Mas tem um problema, perde mais vezes uma criança de 10 anos do que as chaves de casa. Pode ser chato.

 

É portanto natural que esta criança sofra de graves problemas mentais. E sofre. Claro.

É que ao contrário das crianças da sua idade, este pequeno rebento quando olha para berlindes, não pensa em brincar com eles. Não. Pensa sim como podem ser bastante úteis se colocados à saída de uma banheira, ou perto de umas escadas para outras pessoas caírem.

Além disso acha normal e divertido mandar tijolos à cara de adultos.

E porque não electrificar uma porta? Eu próprio estava sempre a pensar nisso enquanto via o Rei Leão.

Tudo normal portanto. Uma criança de 10 anos vulgar, em pleno Natal.

 

Mas sabem o que mais assusta neste filme? Principalmente nesta sequela?

É que este pequeno psicopata loirinho tem dezenas de oportunidades para chamar as autoridades e informar que foi abandonado pela mãe. Mas não. Nem pondera essa hipótese.

Em vez disso, por sua iniciativa, resolve criar todas as artimanhas possíveis para viver à custa do cartão de crédito do pai, no hotel mais caro da cidade e criar novas e preocupantes armadilhas para voltar a torturar os mesmos delinquentes do primeiro filme.

A psicologia explicará melhor o problema desta família disfuncional, mas sabemos que algo está mal com um filho nosso quando este, com 10 anos, pensa em regar uma corda com um produto inflamável para depois, quando dois bandidos descem por ela, riscar um fósforo e dizer: Feliz Natal!

 

Um filme natalício. Dizem.

 

Mas o que mais adoro é a forma como termina. Sempre pleno de moral. 

 

E assim ao fim de 2 horas de violência pura de um menor sobre dois adultos, a família volta finalmente a unir-se numa imagem bonita de família feliz e de forte mensagem natalícia, em que a mãe delinquente abraça o seu filho psicopata, na presença do seu pai banana, sempre, mas sempre, calado.

 

Que comoção. Que bom o Natal. O Natal é isto!

 

Perfeito, perfeito, era só mesmo aparecer o Donald Trump!

 

 (imagem)

A sério?

 

Bom, uma coisa é certa, para o ano há mais...

 

Isto, se a segurança social deixar.

 

P.A.


E fazer like na página do facebook, não?

O São Martinho e as alterações climáticas

O político norte-americano e Nobel da Paz Al Gore deixou ontem uma mensagem de esperança na apresentação da sequela do filme “Uma verdade inconveniente”, afirmando que as pessoas podem e vão vencer a luta contra as alterações climáticas.

Mas alterações climáticas onde? Digam-me lá? Então e o outro senhor de cabelo engraçado, que pelos vistos esse sim, até conseguiu chegar a presidente dos EUA, não diz exactamente o contrário?

 

Numa mensagem gravada em vídeo, Al Gore começou por dizer que em cada dia as pessoas do mundo produzem 110 milhões de toneladas de emissões de gases que provocam o aquecimento global na atmosfera, “como se fosse um esgoto aberto”.

Claro que me pus logo a fazer as contas para saber qual a minha quota parte neste bolo gaseificado mundial.

 

Ora somos 7,6 biliões.

Temos 110 milhões a reivindicar por esta malta toda que anda aqui só a curtir e depois não limpa nada. Portanto, isto tudo dividido, dá à volta de 0,014 kg, ou seja, 14 gramas de emissões de gases por dia e por pessoa.

14 gramas? Eu? Por dia? Lamento mas não pode ser. Não estou à altura deste grupo gaseificado.

Sinto-me flatuexcluído. E pior, inocente.

 

Logo eu que primo pela rara flatulência, embora seja bastante acutilante quando se verifica - devo acrescentar -, tenho de agora fazer parte da média gasosa? É que só o meu primo, esse artista de "artes flatas", emite quantidades impressionantes. Principalmente à tardinha, no lusco fusco. São ali 5-7 minutos de pura Avenida da Liberdade em hora de ponta. Até dá para sentir aquela brisa. Quase como quando um autocarro passa por nós e nos contempla com aquela nuvem no fim. E neste caso, este autocarro, nem se move a grão ou feijão. Não precisa. Funciona sem chumbo mesmo.

 

Mas atenção, eu sou a favor e aceito tomar medidas, claro, mas desde que proporcionais ao nosso cavalheirismo intestinal. Os camiões também pagam mais nas portagens e eu, que nesta equação sou um simples Smart for Two, não faz sentido pagar o mesmo. Não somos todos irmãos. Ele é meu primo, se faz favor.

 

Mas tirando o facto de agora já saberem o valor médio dos gases que emitem por dia e ficarem satisfeitos com o vosso contributo, tenham em consideração que são contabilizados para este total todos os factores poluentes, desde o nosso carro, lixo, consumo de electricidade, etc. O que de facto eleva o meu primo a um estatuto digno da revista Forbes.

 

Mas voltando a Trump. Alterações climáticas onde?

Digam-me.

Sempre existiram alterações climáticas. Não é nada de agora. Que eu saiba, nunca vivemos num regime de constantes climáticas. Senão como é que os funcionários do IPMA falhavam tanto? 

 

Mesmo assim, pelo menos cá em Portugal não noto nada de especial.

Ainda ontem à noite quando ia na rua, lá estava a senhora das castanhas como é costume todos os anos. Sempre no mesmo sítio, como todos os anos, e sempre com a sua mota das castanhas, tudo como de costume. Até o slogan é o mesmo:

"Olha as castanhas! "Quentes e boas! Quentes e boas!"

E eu, olha é mesmo isto! Até me dá jeito. Vou agora comprar umas castanhas para ver se ainda vou a tempo de ser honrar a média gasosa que me compete.

 

Até que a senhora me pergunta:

"Temperatura ambiente ou mais frescas?"

 

Tudo na mesma.

 

P.A

 

P.S1 - Um abraço especial ao São Martinho. Parece que já não é preciso cortares mais do teu manto para protegeres do frio os sem-abrigo que encontras pelo teu caminho. Não deve ser fácil teres investido tanto em roupa de inverno para agora ser isto. Faz como eu, mete no OLX.

 

P.S2 - Se puderem vejam o documentário do Al Gore. Mais info aqui.

 

P.S3 - Pensem bem antes de flatular.

 

P.S4 - Ah e um abraço Bruno. Primão! 


E fazer like na página do facebook, não?

Desafio: Desarrumações mentais

Pois é, a Maria, invejosa claro, viu outras a fazer e toca de mandar também um desafio para o P.A responder.

Mandem mais meus docinhos! Não tenham recheio.

Não foi nada contra ti Maria, mas o outro desafio foi pedido primeiro.  Podes parar de enviar emails?

 

Aqui vai:

 

1 - Se te pagassem 100.000€ para posares na capa de uma revista, a segurar uma garrafa de champanhe numa mão e com alguém ao teu lado a dar-te morangos à boca vestido com o fato-de-banho verde do Borat, preferias que essa pessoa fosse o Manuel Luís Goucha ou o Fernando Mendes?

Eu preferia kiwi, mas por 100.000€ aceito os morangos. De resto, não vejo o desafio da coisa.

 

2 - Ias num cruzeiro, o teu barco naufragava, só havia dois sobreviventes e ambos davam à costa na mesma ilha deserta, com 4 metros x 4 metros. Teriam que obrigatoriamente conviver um com o outro todas as 24 horas do dia e ajudar-se mutuamente para sobreviver. Escolhias naufragar com o Donald Trump ou com o Kim Jong-un?

Ui, mas mil vezes o Trump! Passar 24 horas sem saber dizer o nome do outro?

"Oh psst anda cá!"

"Oh Manel lava os pés, mas do teu lado caraças!"

"Oh gajo que deve ter ido sempre à baliza quando era miudo, já apanhaste o peixe ou não?"

"Oh Quim Jonas! É pra hoje??"

 

3 - Estás de olhos vendados numa câmara de tortura a ouvir em loop os mesmos 5 CD's. Não sabes quanto tempo vais lá estar, pode ser 1 dia, pode ser um ano. Que banda sonora escolhias: Quim Barreiros ou Ana Malhoa?

Sinceramente? Ana Malhoa.

Se há coisa que o meu avô sempre me disse foi para nunca ficar sozinho, vendado, numa câmara de tortura, com um homem de bigode.

 

4 - Escolhe, rápido: uma martelada no meio da mão direita ou bater com o dedo mindinho do pé esquerdo na quina de um móvel?

Assim fica fácil. É que se fosse uma martelada na mão esquerda e o mindinho do pé direito, aí é que ficava sem saber o que responder.

Agora assim é simples: mindinho do pé esquerdo. A ver se assim afina o meu pior pé e já acerto com a bola na baliza. 

Além disso, a mão direita também convém estar em condições.

Para escrever no blog, claro.

 

5 - Última pergunta desta ronda: se fosses eleito presidente de Portugal, e te fosse concedido um génio da lâmpada que só te pudesse realizar um único desejo relativamente às tuas acções políticas, tu optavas por aumentar o salário mínimo para 1100€/mês ou fazer com que nunca mais houvesse um incêndio em Portugal?

Em primeiro lugar, estas versões de génios das lâmpadas dos chineses não dão com nada. Sempre cresci a acreditar nos 3 desejos e a orientar a minha vida nesse sentido. "Vamos salvar Portugal?" - Lamentamos só há um desejo. Não faz sentido.

Enfim, poupa-se sempre no que não se deve. Vai-se a ver e têm todos IPhones depois.

Assumindo então que este génio amputado de dois desejos existe, eu iria pelo cortar o eucalipto pela raíz, ou seja pelo "que nunca mais houvesse um incêndio em Portugal".

 

Até porque 1100€/mês nem para uma casa de jeito em Lisboa dá. Não salvava muito Lisboeta também.

 

 

Quem é que quero nomear para este desarranjo?

MariSofia

Sofia

 

Sim. Para quem leu o post de segunda-feira, também tenho queda para as que têm Sofia no nome.

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

A Aula de Geografia e o Acordo de Paris

Meninos e meninas, hoje temos um aluno especial, sejam simpáticos para o Trumpinho que vai assistir hoje à nossa aula, está bem? 

Vá Guterreszinho, deixa o menino sentar-se aí ao pé de ti.

Le Penzinha: Professor ele pode ficar ao meu lado se quiser!

Já não tens mais cadeiras vagas à tua direita Le Penzinha, e ele à tua esquerda não quer ficar.

Mas não se preocupem que com Brexit sobraram ali umas cadeiras vagas ao pé do Guterreszinho.

 

Vamos lá então à aula de hoje, meus meninos.

Primeiro vamos todos apontar nesse globo que têm aí, onde estão os vossos países.

Todos: Já está professor!

Bravo meninos! Todos apontaram correctamente.

Qual é a primeira lição que retiram deste exercício?

 

Guterreszinho: Que estamos todos no mesmo globo, professor!

Bravo! Muito bem!

Agora mais difícil - Trumpinho, com esse lápis tenta fazer um furo no globo onde diz "Acordo de Paris".

Trumpinho: Não pode ser também na Coreia do Norte, professor?

Mais tarde Trumpinho, mais tarde.

Trumpinho: Pronto encontrei o acordo, vou furar.

Trumpinho: Ohhhhh! Rebentou o globo todo, professor! E agora??

 

Agora que lição retiram deste segundo exercício meninos?

 

Guterreszinho: Que devemos ter todos as mesmas preocupações porque se correr mal, é mau para todos, professor!

Deixa o Trumpinho responder também Guterreszinho.

Trumpinho: "Para proteger a América e os seus cidadãos, os Estados Unidos vão sair do Acordo de Paris"

 

Toque de saída.

 

final.png

 (imagens da internet, o mix foi P.A)

 

P.A

 

Entretanto...

 

Jorginho: Senhor professor? É aqui a ala de pretuguês?

Não Jorginho não é, é aqui ao lado.

Jorginho: Portantos isse quer dizer que não é aqui. Obrigades professor.

Nada Jorginho! Vai com Deus.

 

Bruninho de Carvalho: Senhor professor, eu acho que o conheço, quem é?

Oh Bruninho, então não eram amigos?

 

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

Papa é Papa, mas não papa tudo

Donald Trump e sua administração, vulgo esposa, filha, e muito provavelmente cunhada, prima, afilhada e outros sócios partidários com o mesmo apelido, estiveram no Vaticano para um encontro oficial com o Papa Francisco.

 

O Papa, como líder espiritual de uma das religiões com maior expressão mundial, baseia a sua acção no incentivo à paz, diálogo, amizade e amor. Aliás, Papa Francisco é sempre sinónimo de alegria, comparativamente aos seus antecessores. Por esse ponto de vista, seria expectável que com Donald Trump a sua "política religiosa" o mantivesse nesse mesmo registo. Afinal, como o próprio referiu anteriormente, nunca faz "um juízo sobre uma pessoa sem a ouvir".

 

Donald Trump chegou.

Donald Trump falou.

 

E posaram para a foto:

 

 (imagem)

 

Direi que o seu juízo foi já concluído.

 

Toda a imagem seria digna de um poster de apresentação ao programa "Pesadelo na Sala de Estar" num Vaticano muito diferente do habitual. O chef Francisco deu de caras com todos aqueles ideais fora de prazo, atitudes "congeladas" e não frescas do momento e um comportamento muito pouco higiénico relativamente a assuntos sociais, todos estes ingredientes seriam mais do que motivo para o chef Francisco se exaltar.

E foi o que aconteceu.

Pela primeira vez temos uma foto de um Papa exaltado. Religiosamente exaltado claro, mas exaltado.

 

Uma coisa fica clara meus amigos, o Papa é Papa, mas não papa tudo.

 

 

P.A

 

A Rádio Comercial lançou um desafio relativamente a este assunto, descubram lá as diferenças!

 

 (imagem)


E fazer like na página do facebook, não?

Os 100 dias de Trump

Dia 29 de Abril de 2017, o empresário-presidente Donald Trump chega ao número redondo dos 100 dias na casa mais pequena onde já alguma vez habitou. Aquele pálido T4, nos arredores de Washington, com kitchenette e jardim com vista desafogada, a que apelidam, provavelmente por falta de imaginação, de "Casa Branca".

Eu sinceramente não gostava. E limpar? Ainda por mais a zona é conhecida por ter ventanias das fortes, daquelas que até lhe chamamos nomes de ex-namoradas psicopatas, a katrina então foi terrível, depois fica-me ali o jardim sempre todo cheio de folhas. Não. Eu não presidia. Amigos e tal, mas eu não presidia ali. 

Bom mas além deste sacrifício imobiliário que Donald Trump, pela pátria, foi obrigado a cometer, o que mudou neste tempo? Que objectivos foram afinal cumpridos?

Não sei se se recorda, mas durante a campanha, Trump apresentou um plano que se comprometia a executar nos seus primeiros 100 dias de mandato. A realidade é que não o cumpriu, pelo menos não na totalidade.

 

Mas diga-me uma coisa, como pode achar que nada foi feito quando o principal número, ao contrário do previsto pela maioria dos críticos, foi largamente atingido?

Falo-vos não do número do défice, não da desigualdade social, nem mesmo do número de mortes pelo acesso fácil ao uso de armas, mas sim do número que realmente importa:

 

O número de seguidores no Twitter.

 

Nunca em outra presidência este número escalou tão rápido em pouco tempo, estando agora nos 28 milhões de seguidores. #ItsHuge-ItsTrue

E aquela comovente demonstração de que a família é mais importante, colocando a filha a gerir assuntos seus? #FamilyFirstNotAmerica

E quem não se recorda da forma categórica como afastou toda a problemática machista que o envolvia, quando perante o seu primeiro grande impasse militar preferiu contratar a "Mãe de todas as bombas" e não o Pai?  Belo estalo de luva branca nesses críticos invejosos. #MotherInYourFaceHaters

 

E assim foram os primeiros 100 dias.

 

Faltam 1360.

 

 (imagem)

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

Em Banho Maria #2 - Trump

Maria viste isto?

Esta malta só gosta de coisas assim!

Enfim...Que fazemos?

Mais?

Então e temas? A malta sugere?

 

Vamos lá ver...

 

Se nos acompanham, já devem saber que a seriedade, a rigidez e a total ausência de brincadeira é algo que prezamos muito para estes lados.

Ironia? Sarcasmo? Podem ir dar os dois uma volta ao bilhar grande! Não são bem-vindos.

Vamos lá mostrar a realidade tal como ela é ou, neste caso, como a Maria acha que é. 

Será, obviamente, neste registo de profissionalismo que iremos navegar no nosso tema de hoje:

 

O senhor Donald.

Não o pato, o Trump.

 

Vamos lá a isto:

 

P.A: Olá Maria, sê muito bem-vinda. 

Maria: Obrigada P.A.

P.A: Quero que saibas que é um privilégio receber-te aqui, mais uma vez, em minha casa. Peço só que da próxima vez te vistas de forma mais apropriada! É que eu estou aqui a tentar fazer o meu trabalho, se faz favor!

Maria: Mas eu estou de gola alta e calças até ao tornozelo!

P.A: Exactamente. Isto não é nenhuma igreja que eu saiba!

Maria: O_O

P.A: Bom, agora que te deixei mais confortável, podemos começar.

Maria: ....

 

P.A: Optei por começar já com a pergunta mais complexa que preparei para hoje sobre o tema Trump. Preparada?

Maria: A mais complexa? Já? Sem aquecimento? Bom, vá lá...

P.A: Maria... Se o Trump tivesse gripe....

Maria: Sim...

P.A: Eras a favor da eutanásia?

MariaO_O

Maria: Bem...eu sou a favor da Eutanásia para quem a queira por em prática. No caso dele sou a favor de Suicídio.

Para além disso, já que ele é tão fã de armas, porque não experimentá-las no próprio?

P.A: Porque isso já seria ele a "armar-se" em bom! Coisa que ele nunca faz!

Maria: ....

P.A: Maria, se o Trump se chamasse Maria, olhavas-te ao espelho?

Maria: Olhava sim. E pensava: ali está uma Maria que nunca chegará aos pés Desta (No, really, it’s true)

P.A: Humm acho que vou tentar outra abordagem...Se uma foca bebé fofinha com fome se chamasse Trump, davas-lhe comida?

MariaSim, coitadinha da foca. Quanto mais peixe comem, menos sobra para mim (brrr)
P.A: Certo...só pelo peixe. Percebo. Por falar em peixe...Se visses um senhor na rua com o trump de fora, avisavas?

MariaNão estaria a olhar…  
P.A: E se estivermos a falar de um trump pelo joelho, mais ou menos?

MariaChamar-se-ia Obama, pela certa!

P.A: Ah, deve ser por isso que elas gostam tanto do Obama Care.

Maria: O_O

 

P.A: Maria, se o meu P.A significar Poder Absoluto, ou seja, Trump, continuamos com isto dos banhos maria? 

MariaClaro que sim, mal podia esperar por transformar esse PA em Peneirento Acabado!           

P.A: Deves querer Porrada Afoita, também!

MariaPronto mestre... estava só a testar a sua Paciência Absoluta... Perdão mestre...

P.A: ....

 

(Aviso: as pessoas mais sensíveis devem ter especial cuidado ao ler a próxima questão, tentem não imaginar, por favor.)
 

P.A: Maria, já imaginaste como será o Trump....só com a penugem dourada visível? Ou seja, sem roupa?

MariaNão, credo. Quem iria querer imaginar isso?...para ter pesadelos?

P.A: Mas tenta imaginar agora. Que vês?

MariaNão vejo nada. Sabes que sou meio toupeirinha.

A minha capacidade de visão não permite focar algo tão pequeno. E acredito piamente que seja algo ao nível do átomo, caso contrário como se obteria um ego tão grande?

P.A: Gostei do facto de teres usado a expressão "piamente"! Dado estarmos a falar de pintos átomos.

Maria: O_O
P.A: Imagina agora que para o Trump desaparecer, tinhas de estar intimamente com ele e realizar todos os seus fetiches.

Era America First, ou Pisga-te Maria? 

Mariapisga-te Maria Bolt Mota Lopes (entre outros apelidos de atletas famosos)

P.A: e o futuro do mundo?

Maria: de uma forma ou de outra para mim acabava ali!



P.A: Obrigado Maria. Uma última pergunta, O que dizem as tuas axilas?

MariaQue querem o Verão Já, taditas, padecem de claustrofobia!
P.A: No entanto, o meio ambiente agradece...

Maria: Disseste alguma coisa P.A? Não consegui perceber...

P.A: É quando o meio aquece!  

Maria: Ah sim! É por isso mesmo!

P.A: Pois é...

 

(desligam o som)

 

P.A: Maria, vi toda a gente a falar deste senhor, destaques no sapo, na televisão, enfim, por todo o lado. Claro que também quis fazer perguntas para não parecer mal...Se calhar até me consegues ajudar...

É colega do Ronaldo?

Maria: O_O

 

 

trump.jpg

 

 P.A.


E fazer like na página do facebook, não?

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo