Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Eleições Autárquicas - Tesourinhos 2017

Diz-se por aí que uma boa imagem, um bom slogan, uma boa frase motivacional podem convencer alguns eleitores a mudar a sua intenção de voto. Diz-se. Será verdade?

 

A verdade é que com tanta freguesia em Portugal, torna-se realmente complicado garantir a sobrevivência de alguma "criatividade sloganística" por todo o território, mesmo que seja espaçada em intervalos de 4 anos. 

Mas o que me faz alguma confusão aqui é que toda esta escolha de slogans pareça mais uma espécie de sorteio de frases pré-feitas, como se juntassem todos os candidatos numa sala e, vez à vez, vão tirando a bola, não da sorte, mas do slogan político correspondente. Numa espécie de Lotaria de Slogan Autárquico, em que só temos direito a tirar uma bola.

 

Apresento-vos o primeiro sorteio, aberto a todos os candidatos:

Sorteio do "Slogan Autárquico em que basta pôr um verbo antes do nome da freguesia" de 2017:

 

"Senhor candidato à freguesia Calvos, retire por favor a sua bola" - exclama a senhora do bingo que faz sorteios de slogan políticos às quintas à noite.

 

Ele retira.

Ah bolas. Calhou a bola do slogan com o verbo "Continuar".

continuarCalvo.jpg

 

 

"Vá amigo, da próxima tens mais sorte no sorteio." - diz o colega de Leitões:

 

continuarLeitões.jpg

 

 

Mas nem só de retirar bolas é feito este sorteio. Existem algumas regras. Ora vejamos:

Se o nosso partido estiver actualmente em funções na nossa freguesia, então verbos como Mudar, Alterar, Rejuvenescer, Recriar, estão totalmente proibidos de extrair. Apenas o Continuar, Manter e Seguir se encontram no boião do sorteio. Já imaginaram o que seria se alguém arriscasse a querer mudar algo dentro da mesma cor política? O resultado imediato seria devastador. Começando pelo despedimento por justa causa do senhor dos boiões. Esse incompetente. Que não sabe distinguir, literalmente, a direita da esquerda.

 

Além deste sorteio, de verbos precedendo o nome da freguesia, existem outras categorias para os candidatos mais requintados:

 

Apresento-vos o segundo sorteio, aberto só a alguns candidatos de zonas mais "in":

O sorteio do "Slogan político da utilização da palavra "primeiro" " de 2017:

 

primeiro.png

Parabéns aos vencedores.

 

Existe também no meio destes sorteios uma bola preta, a do azar, que ninguém quer.

Este ano calhou a bola do mau gosto a Esposende:

 

bolapreta.jpg

 

 

Mas também temos casos positivos e de fair-play político que são sempre de louvar:

 

fairplay.jpg

Mas mesmo com esta sugestão de extremo fair-play de sugerir um "olhar em frente" para um rival, quero dar aqui um abraço especial ao Panda, que para mim é um forte candidato a Oeiras.

Sigo-te sempre na TV candidato Panda, obrigado por teres um canal que deve ser o único em que não é o Marcelo, o que aparece mais.

Parece que já estou a ver: "Oeiras a "Pandemónio" Mundial!

Peço desculpa, calhou-me a bola do trocadilho com património no sorteio. Tive azar.

 

E para terminar com chave de ouro, a bola dourada do sorteio, a mais desejada e que normalmente só está reservada para as grandes cidades portuguesas: o Slogan político temático da actualidade:

 

E o vencedor de 2017 do Slogan político temático da actualidade é?

 

salvadorsobralpelos2.png

O candidato Manuel Pizzaro!

Que embora fizesse mais sentido concorrer a "Calvo" e ser dono da bola "Continuar", apresenta-se aqui sortudo, com a bola "Salvador Sobral" e o seu "Fazer pelos Dois". Bravo Manuel!

12 Pontos para o Porto.

 

 

Bem, seja com sorteio ou não, muitas vezes a ideia que sobra, é que independente do slogan escolhido, o eleitor vota na mesma ou melhor, como tem vindo a ser hábito, abstém-se, e aqueles que sobram, que ainda votam, votam sempre na mesma cor, não é verdade? Eu gostaria de acreditar que não. Espero que não.

Mas seja esta espécie de facilitismo político, ou mesmo apenas falta de imaginação, os verdadeiros culpados do nascimento destas "abordagens sloganísticas", o que é certo é que eleições atrás de eleições, tesourinhos não faltam, tendo dado origem a uma página de facebook [onde fui capturar a inspiração e imagens que vos apresento aqui]. 

Vão lá dar uma espreitadela. E muitos mais tesourinhos vão encontrar.

 

E já agora cuidado com as correntes de ar. Não se constipem como este senhor:

 

santinho.jpg

 

Santinho!

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

As Redes Sociais, os Media e Pedrógão Grande

Ontem parei um pouco e tentei analisar o comportamento desta máquina informativa que nos envolve hoje em dia.

Como é que isto funciona? Existem tragédias no mundo, falhas, erros, problemas. Mas como é que sabemos de todos estes assuntos? Que prioridade existe afinal na informação?

 

Passámos as duas últimas semanas em constante foco em Pedrógão Grande. Principais destaques, dramas, lutas, perdas. Uma tragédia apresentada com elevado teor de importância, que na realidade, infelizmente o foi. Depois veio o tempo de antena do caso da Judite de Sousa, tanta era a ânsia desta máquina de informar de ser a primeira a chegar, de chegar mais perto, de ser a que mais depressa nos informa. Afinal de contas, hoje em dia, a notícia que conta é sempre a primeira. E neste caso o foco foi de tal forma nesse objectivo que acabou por chocar com valores morais de alguns espectadores.

E as redes sociais explodiram.

 

Felizmente o fogo foi extinto assim como a polémica da Judite. As indignações nas redes sociais, ardem muito, mas duram pouco.

E nesta terça-feira tivemos um pavilhão cheio, com 25 actuações dos melhores músicos portugueses [e muitos mais quereriam actuar ali] a trabalharem gratuitamente para o evento com quase mil pessoas numa onda solidária imune a explosões de redes sociais.

Pela primeira vez na história destes mesmos meios de informação, os tais sempre ansiosos por informar, em particular as televisões e as rádios, uniram-se numa emissão única, com profissionais de todas as estações sentados lado a lado durante 5 horas de uma emissão incrivelmente histórica. E foi bom. Muito bom.

 

E quando tudo esperaria exactamente que fosse esse o destaque da noite, aquele que deixaria as redes sociais em êxtase pelo feito conquistado, eis que Salvador Sobral resolve falar sobre a sua ausência de bifidus activos e como isso afectaria o gosto dos portugueses. 

E as redes sociais explodiram novamente.

 

De tal forma que este ar quente de Salvador será por certo o flato português mais conhecido de sempre por terras de Camões.

 

Ao ponto de, pela certa, existirem neste momento mais pessoas informadas deste gosto particular de Salvador "por buffets", do que conscientes dos cerca de 1 milhão e 150 mil euros que foram angariados nesse mesmo evento - o real objectivo da noite.

Aquele que, mais uma vez, mostra como o povo português é um povo que, peiditos e Judites à parte, nos orgulha profundamente. Esse que não devemos esquecer.

 

Resta saber agora, terminado o alívio do Salvador, qual será a próxima viagem deste vai-vem que é a Ford Transit da indignação nas redes sociais.

 

(imagem)

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

O "Sculptor" Português

É certo que toda a gente fala de Ronaldo, Salvador Sobral e Zezé Camarinha* como embaixadores da cultura portuguesa mundo fora.

Mas, recentemente, com tanta vitória Portuguesa por essa Europa, que deixou até este povo agastado, tanta euforia foi, ficou esquecido um senhor.

Tímido, trabalhador, humilde, viu de um dia para o outro o seu trabalho (de)batido em praça pública. Mas, mais uma vez, como muitos outros, teve de ir lá fora para encontrar o reconhecimento devido.

 

Falo do senhor Emanuel Santos. Lembra-se?

Aquele do busto do Ronaldo. O do alerta facial para os sintomas de um AVC? Sim, esse mesmo.

 

Aquele busto que eu adorei e explico aqui porquê.

 

Ao que parece o mundo do futebol é como um grupo de amigas do secundário. Uma mete unhas de gel, a outra não pára até ter também. Uma muda o penteado, a outra feita gorda vai logo imitar. Uma faz um anúncio a um champô e levanta a problemática da "oleosedade" ou "olosidade" [na realidade nunca percebi como ele dizia aquela palavra], vem logo outra a seguir fazer também.

Agora, chegou aos bustos. Então não é que a amiga histérica e invejosa do Ronaldo, de seu nome Gareth Bale, que também joga no Real Madrid, claro, até nisso tinha de imitar, embirrou que também tinha de ter um busto na sua terra natal? Andava amuada e tudo. Com a birra até fez greve e simulou uma lesão para não jogar nestes últimos meses. Pindérica. E para não dar nas vistas, a esperta, arranjou uma casa de apostas para servir de testa de ferro e fazer o pedido oficial ao senhor Emanuel. Tão falsa.

 

O que é certo é que o senhor Emanuel Santos não ligou à teoria das invejosas e conseguiu a difícil tarefa de novamente, por via de um busto, alertar para uma problemática muito comum na sociedade. Se outrora pudemos aprender como seria um AVC na cara de Cristiano Ronaldo, agora podemos ver Gareth Bale e a sua prisão de ventre acentuada.

 

Bravo senhor Emanuel! Bravo!

 

Por favor, volto-lhe a pedir:

Faça-me um busto também, se possível hipertenso!

 

 

Gareth Bale

By Emanuel Santos, Sculptor

(YES, HIM AGAIN)

 (imagem)

 

* Zezé Camarinha - Cara leitora Britânica, importa esclarecer que embora toda a temática recente do Brexit, que tem vindo a conhecer, o nosso Zeze não está incluído no pacote. Descanse, poderá continuar a visitar o nosso país sem qualquer restrição "camarinha". Obrigado.

 

* Zezé Camarinha - Dear British reader, it should be clarified that although the recent Brexit thematic that you have come to know, our Zeze is not included in the package. Don't worry, you can continue to visit our country without any "camarinha" restriction. Thank you.


E fazer like na página do facebook, não?

E pronto, acabou a brincadeira...

A conta da EDP não perdoa e deve estar para breve.

A renda está paga e o telemóvel carreguei ontem.

O IRS, esse, já o fiz.

 

Hoje é aquele dia em que a balança da realidade começa novamente a equilibrar por via dos últimos vapores do entusiasmo do fim de semana. Como se fossemos um potente Ferrari mas na reserva, sem entusiasmo.

 

O Salvador já não me faz esquecer que a Maria Leal existiu mesmo.

A lambreta do Eliseu, lembra-me apenas que tenho de ir mudar o óleo do carro.

E o centenário de Fátima deprime-me por ainda me lembrar da celebração dos 80 anos. E já dono de alguns inícios de barba na altura.

 

Volta-se aos poucos ao falar de ataques informáticos, violência doméstica, défices, estágios profissionais, contas para pagar, facturas...

Tudo outra vez... 

 

Alguém tem aí alguma coisa para a ressaca?

 

Um euromilhões mais logo, qualquer coisinha assim leve para festejar?

 

Abastecia mesmo bem este Ferrari.

 

 (imagem)

 

P.A

 

Nota: Vocês também têm uma vizinha do lado a ouvir o Salvador desalmadamente? Amar pelos dois espaçadamente ainda vá, agora para sempre e pelo prédio todo, fica chato. E eu até gosto da música, só que assim começa a criar humidade nas orelhas. E não é nada prático desumidificar isto.


E fazer like na página do facebook, não?

E depois vem sempre a segunda-feira...

Depois destes dias em festa, chega agora a hora de retomar a rotina deixada na outra vida que tínhamos antes deste fim de semana.

Aquela vida deixada em "pause" na sexta-feira, com ou sem tolerância de ponto, em que se assistiu à chegada do Papa ao nosso país, rodeada pelo fantasma de um eventual atentado, em que os benfiquistas ainda tremiam com um eventual empate ou derrota, na Luz, contra o quarto classificado e já era bom estar numa semi-final do festival da Eurovisão.

Tudo isto acompanhado de uma tal de previsão de fim do mundo apontada para o dia seguinte, o 13 de Maio.

 

Tenho de lhe dar os parabéns, caro vidente.

 

Fim daquele mundo que conhecíamos, foi. Sem dúvida. Acertou.

 

 

Não existiram atentados. Fátima foi e sempre será símbolo de paz e harmonia para crentes/peregrinos.

O receio benfiquista foi extinto por uma exibição assombrosa na Luz, e pela lambreta do Eliseu.

E não satisfeitos ainda, parece que se ganhou a Eurovisão. Houve salvador.

 

Caro vidente, 

já que acertou no fim do mundo, digam-me lá com que cara é que entramos hoje ao trabalho neste novo mundo desconhecido?

 

É que estou, perdoem-me os aracnofóbicos, às aranhas!

 

Você que até percebe disto, ajude-me lá.

 

P.A

 

Nota: Ainda sobre o ataque informático à escala global levado a cabo na última sexta-feira [que com este fim de semana louco, ficou um pouco abafado mas ainda se encontra activo] escrevi aqui um post onde tentei desmistificar o método e como se podem prevenir.

A vinda do Papa a Portugal e a respectiva tolerância de ponto evitaram danos maiores principalmente nas nossas instituições públicas. Mas hoje, segunda-feira, ao regressarem aos respectivos computadores, caso tenham emails "inesperados", com anexos, na caixa de entrada, mesmo de contactos conhecidos vossos, confirmem primeiro a sua veracidade.

Mais informação, vejam aqui. Caso contrário, sem esta percepção, poderemos sofrer novo pico de infecção desnecessário. Partilhem esta mensagem entre vós.

 

Ah e boa sorte neste novo mundo de paz, tetra e vencedores da Eurovisão!


E fazer like na página do facebook, não?

O melhor 13 de Maio de sempre

Vamos lá tentar explicar o dia de ontem por ordem cronológica que, embora sejam apenas 24 horas, foi muita coisa ao mesmo tempo.

 

 - Começa o dia,  inocente.  Hora de acordar, tomar o pequeno almoço, ligar a TV para ver o que se passa.

 

Temos o Papa, o líder espiritual da Igreja Católica, no nosso país a dirigir-se ao mundo. Milhões de peregrinos em êxtase!

 

- Depois de celebrada a missa, é hora de ir almoçar/lanchar.

 

O Benfica sagra-se pela primeira vez Tetracampeão. Milhões de adeptos em êxtase!

 

- Acaba o jogo. Deixa cá ligar a televisão na RTP1 que está a começar a Eurovisão. Jantamos. 

 

O Salvador Sobral ganha pela primeira vez o festival da Eurovisão. Milhões de portugueses [e não só] em êxtase!

 

 

Por fim, passa da meia noite. Mais um dia que a minha namorada não apanhou bouquet nenhum. Apenas uma pessoa em êxtase!

 

 

Seja ateu, não benfiquista ou anti-Salvador, Portugal não se vai esquecer do 13 de Maio de 2017.

 

Obrigado a todos os intervenientes! Que belo dia me/nos proporcionaram!

 

Orgulho de partilhar este pedaço de terra em festa convosco amigos!

 

Que venham mais dias destes! 

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

O Salvador da Eurovisão?

É verdade.

Este ano sei e até estou a escrever sobre um programa que só sabia que já tinha terminado quando eventualmente lia/ouvia algo sobre o seu vencedor. É que com o passar dos anos fui percebendo que para ouvir músicas vencedoras da Eurovisão, bastava-me ir ao Urban. Não tinha de esperar um ano pela próxima rodada. Além disso, o Urban tem menos mulheres barbadas. Algumas, mas menos.

 

Mas o que mudou?

Este ano temos um Salvador. Um Salvador musical e isento de remixes. Resta saber se conseguirá plantar sobreiros emocionais suficientes para garantir um vasto Sobral de votos Europa fora. Algo que para alguém que até então era praticamente desconhecido do grande público e agora, embora debilitado, se apresenta num nível elevado de popularidade, é um forte indicador de conquista.

 

Eu sei que a música é o grande alvo de análise. Já li, desde o começo, diversas opiniões. Mas expliquem-me como é que eu digo agora à namorada que apanhou o bouquet que temho de ir ali ao Urban? Cultivar-me, porque não vi a Eurovisão? Que só lá ia porque a música que lá toca é daquelas que é sempre aprovada por maioria Europeia e que até ia contrariado porque nem gostava muito do ambiente? Pois é. Assim já não posso.

Meus amigos, que fique claro, não podem levar uma música destas à Eurovisão. Agora vou ter de ficar em casa, fechado, pela primeira vez nos últimos 15 anos a ver a Eurovisão [pelo menos a nossa música].

Isto tem algum sentido? Estragam-me os planos, sem necessidade.

 

Vá lá, façam lá um remix europeu disso, como a malta gosta, vá.

 

 

P.A 

P.S - O Salvador conquistou-me. Confesso. No entanto não foi só pela música ou pelas características pessoais, ditas normais, que tenho lido por aí, resultado das suas recentes entrevistas. Ele, mesmo antes de cantar, já está a representar o nosso país. A encarnar o verdadeiro português.

Salvador, se estiveres a ler, és o verdadeiro TUGA rapaz! Que mestre foste a olhar para a senhora que passou enquanto te estavam a entrevistar na red carpet! Uma questão de prioridades, claro. No ponto rapaz! No ponto!

A tua irmã é que não sei se adorou tanto!

 

Abraço e força aí em Kiev!

 

salvadorSobral.png

(imagem)

 

Podem ver o vídeo completo do Salvador, irmã e senhora jeitosa, aqui.

 


E fazer like na página do facebook, não?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo