Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Palavras Cruzadas // A rapariga que adormece sempre

Hoje vou contar-vos uma história de embalar.

Mas não é para adormecerem. Podem ler descansados que não há efeitos secundários. Pelo menos não é esse o objectivo.

Trata-se de uma história de embalar de uma jovem rapariga que adormece sempre que estou a ver televisão com ela.

 

Pode ser telejornal. Pode ser novela. Até pode ser debate político, se bem que neste último não tenho bem a certeza, porque também adormeço.

O que é certo é que é uma questão de segundos para que a cara desta linda donzela comece a adoptar uma nova forma. E é logo assim que se deita neste sofá e olha para a televisão. Não falha. Tanto que já tirei apontamentos:

- Primeiro aquele piscar de olhos cada vez mais lento. Que das primeiras vezes até confundi com uma espécie de preliminares de dança de acasalamento - de trocas de olhares marotos, sedutores, tudo em câmara lenta. A safada.

Só que depois afinal não. 

 

- Depois a demora acentuada em cada sílaba, como se dizer "car-to-li-na" demorasse tanto como ler duas vezes os "Os Maias".

 

- E por fim a respiração pausada e bem cronometrada, que ela gosta de chamar de respiração normal. E eu de ressonar.

Mentira. Ela não ressona. Estou a brincar.

Respira é em alemão quando dorme. O que para mim até é sexy.

Demonstra que é culta.

 

Mas das duas uma, ou eu quando vejo televisão tenho uma personalidade forte em Xanax, ou hálito fresco anestésico, ou então o sofá cá de casa é feito de propofol e eu sofro outro tipo de sintomas, não sonecas.

Eu até estou mais inclinado para a última, porque costuma ser deste mesmo sofá que nascem a maioria dos textos do blog. O que avaliando pelo grau de demência apresentado, até seria a única boa e plausível justificação possível: Tenho um sofá ganza.

 

De qualquer forma, pessoa que me está a ler desse lado, se por acaso sofre deste problema ou conhece alguém que sofra, eu tenho a solução ideal para si. E sim tirei esta frase da TV SHOP.

A solução é simples:

Pipocas!!

 

Sim. Esse milho aos pulos aquecido faz maravilhas. Até exorciza o alemão da menina cá de casa. Descobri que se existirem pipocas suficientes para manter ocupada a donzela, esta consegue ver um filme até ao fim! Isso mesmo! Inteirinho!

Não acredita?

Teste você mesmo. - Tenho mesmo de deixar de ver tanta TV SHOP.

 

Mas calma, aconselho precaução no uso de pipocas. Não rebentem logo com a rapariga. Há risco de overdose.

Por segurança, comecem primeiro com trailers de 2 minutos. Para não bater muito forte.

Depois curtas-metragens de 15-20 minutos quando sentirem que já estão mais independentes no acto de manter a pestana aberta.

E só depois um filme pequenito. Uma "Pequena Sereia" ou um "Querida encolhi os miúdos".

 

Vão por mim, desde que usamos pipocas cá em casa, a nossa vida mudou.

 

Até já vemos filmes do Manoel de Oliveira.

 

Sem intervalo.

 

 

movie.png

 

 

 

P.A

___________________

Este foi o terceiro texto da rubrica Palavras Cruzadas, criada em parceria com a Rita da Nova. A ideia é irmo-nos desafiando uns aos outros através da escrita e escrevermos sobre temas que saem um pouco da nossa zona de conforto ou registo. Mas não só entre nós! Vocês também podem sugerir temas e escreverem também se gostarem das sugestões!

Esta semana escolhi eu. Podem ver como a Rita respondeu a no blog dela.

Agora é a vez dela...Estou para ver o que me vai aquela rapariga dar para escrever daqui a 2 quartas-feiras!

Porta-te bem Rita!

 


E fazer like na página do facebook, não?

Dica da Quarta - Como evitar que a sua parceira adormeça a ver filmes consigo

Já que o tema deste post é meio cinematográfico, digam-me lá se já viram este filme alguma vez:

 

(Eu já o vi mais vezes que o "Sozinho em casa" deu na televisão!)

 

Um casal resolve ver um filme em casa

 

Sofá. Filme a começar. Felicidade no olhar de ambos.

10 minutos depois

Sofá. Filme com 10 minutos. Felicidade no olhar dele, 50 quilos de pesar no olhar dela.

5 minutos depois

Um corpo em cima do rapaz (ou seja 1/4 de sofá). Filme com 15 minutos e uma decisão para tomar:

 

"E agora?"

Momento de decisão

Tentamos reanimar a donzela? - até pode resultar uma, duas vezes, mas não aconselho.. acabamos por ter de estar sempre a repetir este ponto e não vemos o dito filme! O meu record de pós-reanimação nunca deu para ela aguentar mais de 10 minutos...

A sério, adorava saber o segredo do beijo do Príncipe da Branca de Neve! Se calhar, é só mau hálito..

Já para não falar que, em caso de sucesso, corremos o risco de receber aquele BOM acordar que elas NUNCA têm!

 

Humm.. se calhar passamos ao plano B, aceitamos a situação e tentamos colocar-nos numa posição de equilíbrio - entre manter aquele corpo alheio seguro e, ao mesmo tempo, termos um bom ângulo de visão para o filme. Uma espécie de faça yoga você mesmo, mas no sofá.

 

Inevitavelmente, mesmo que arrisquemos a primeira opção, elas acabam na posição peixe e nós na elefante evoluído.

 

Não há volta a dar! Pelo menos pensava eu...Até que a terceira alternativa veio mesmo contra mim. E eu, claro, não me desviei.

Ora bem, a coisa até é bastante simples. Requer apenas algo que a vossa parceira goste bastante. (mais do que nós, aparentemente!)

Estava eu já cansado de ora ser um elefante evoluído ou de andar perdido no loop da reanimação, quando, de repente, me lembrei que tinha ali guardada uma embalagem de pipocas...

Só disse algo como: "Acho que temos ali pipo.."

Ela abriu logo os olhos!

 

EUREKA!!

Fez-se luz na minha cabeça!!!

 

Saquei do bloco de notas e comecei logo a apontar!

 

Analisei cada passo, cada comportamento e desenhei o plano!

 

Descobri então que cada 100 g de pipocas, fazem com que o sono outrora incontrolável seja suportado por cerca de 20 minutos mais, de pestana bem aberta! Desde então, yoga passou a ser um estilo em vias de extinção por este sofá.

Por isso, meus amigos, quando estivermos no hipermercado, só temos de ter em mente que, dependendo do filme que vamos escolher para mais logo, temos garantir cerca de 300 g de pipocas por hora!

 

Esta média inclui também o consumo do elemento masculino, claro! Íamos ficar a ver-vos a comer tudo sozinhas, não?

 

Mas cuidado! Com o entusiasmo todo, não ponham logo as pipocas todas de uma vez... A SÉRIO! Vão por mim. Altera a média..

 

E pronto, agora deve ser mais simples perceber porque tive de vender a minha coleção de "Power Rangers", para poder ver o "E Tudo o Vento Levou" (4 horas de filme) com ela..

 

MAS RESULTOU! 

 

 

 

P.A.


E fazer like na página do facebook, não?

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo