Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

O Segredo Para Ser Belo

Segundo um estudo publicado pela "Royal Society of Open Science", as pessoas que dormem mais são mais atraentes.

 

Discordo totalmente caros cientistas. Nota-se mesmo que não saem à noite.

Remelas, olheiras e olhos semi-serrados é tudo aquilo que se vê na noite portuguesa. Principalmente a partir das 4 da manhã. E no entanto é o pico do engate nacional. Para a próxima larguem lá os tubos de ensaio e antes de formularem a hipótese vão ao Urban ou à queima das fitas.

 

De qualquer forma, assumindo que têm razão, já pensaram bem no impacto que isto pode tomar na nossa sociedade?

Desde o trolha "piropeiro" à amiga invejosa?

Ora vejam:

"Oh boa! Dormes que te fartas!"

"Oh boa! Anda cá à almofada!"

ou até mesmo 

"Oh boa! Com esse andar deves-te deitar com os patinhos!

 

Será este o futuro do trolha português?

 

Da mesma forma que aquela amiga invejosa passaria a agir da seguinte forma:

"Estás óptima querida! Que fizeste a esse cabelo? Dormiste 10 horas hoje não foi? Está perfeito!"

Quando na realidade, por dentro, estaria a pensar:

"Pindérica! É preciso vir assim tão arranjada? É tudo maquilhagem só para parecer que dorme mais do que eu."

 

Por acaso, esta, nem muda muito. A amiga invejosa é sempre constante. 

 

Mas afinal de contas qual é o segredo para ser belo?

 

Dormir deve ajudar qualquer coisa, mas eu continuo a achar que só me dar com gajos feios e sair à noite com eles, me aumenta a chance de ser um gajo bonito.

 

(imagem)

 

P.A.



A Festa do Cinema

Rapaz, tu não dás valor.

Digo rapaz, mas tu também rapariga, não te estejas a rir.

 

Vocês já imaginaram o que era ter de fazer 3 quilómetros a pé, só de ida, até chegar a um cinema? Era assim na minha terra. Pelo menos antigamente.

O cinema não estava no shopping no centro da cidade como está hoje. Era uma espécie de anexo citadino no extremo oposto onde os meus avós viviam, que só os mais bravos [ou com carta e carro] se podiam gabar de já ter visitado. 

 

E não ter um telemóvel para saber se a rapariga com quem tinha combinado ia mesmo? Sendo ela rapariga, era mais seguro combinar de acordo com o seu ciclo de "dias difíceis", do que o seu astral. Afinal de contas ainda eram 3 quilómetros.

Eu lembro-me bem. Não do longo caminho que me transformava numa semi bola de suor à chegada e que, naturalmente, destruía qualquer chance de sucesso com a rapariga, nem mesmo quando elas não apareciam. Mas lembro-me bem do acto social que era ver um filme no cinema.

Era motivo de união. Hoje é motivo de download.

 

O download só tem um problema rapaz, estás a ver aquela última fila mais escura lá em cima no cinema? Por muita volta que dês, nunca "verás" o filme da mesma forma em formato download. Como sei? Como diria a Maria: "Oh por favor!"

 

Agora usa-me essa cabeça e pensa nisto:

 

Dias 22, 23 e 24 de Maio, preço dos bilhetes a €2,5 em todas as salas de cinema.

 

 (imagem)

 

Sem medo! Larga lá o donwload!

 

E combina com a malta!

 

P.A

 

P.S - Dânia Neto, depois confirma-me se sempre vais mais logo, ok?



O Ouro dos Globos

A 22ª edição dos Globos de Ouro, de ontem, surpreendeu-me.

Conseguiram algo que nunca pensei ser possível.

 

A emissão começou por essas 21:15 com a indicação de "directo" no ecrã, quando na realidade se apresentava um céu claro, digno de umas 19 horas acabadinhas de fazer. Isto sim é chegar antes do acontecimento. Imagino a dor nos estúdios da CMTV. Derrotados no próprio jogo. Incompetentes.

Além disso, tal precocidade resultou ainda num momento único televisivo: uma alucinação global de déjà vu. A gravação emissão em directo pifou e voltámos a receber os mesmos 30 segundos anteriores. Vá lá que foram 30 segundos de verdadeiros globos de ouro, mas daqueles bem decotados, da Andreia Rodrigues. 

Obrigado pelo vídeo-árbitro, SIC.

 

Sobre a cerimónia em si, foi o costume.

As convidadas tinham de arranjar forma de dizer quem as vestiu. Embora comigo não resulte muito porque sou terrível com nomes, mas muito bom em decotes.

Os "entregadores de prémios" pareciam jovens estudantes na aula de português a ler do quadro. Com direito a entoação apenas na última sílaba.

5% dos convidados são actores da Globo, para dar um clima internacional à coisa. E afinal de contas, Globo, até é o nome da gala.

O Luís Franco Bastos lá tentou safar aquilo.

E a Luciana Abreu ia semi-desnudada.

 

Nada de novo.

 

Acabei por dar uma olhadela no Pesadelo na Cozinha. 

 

(imagem)

 

P.A



Cuidado com aquelas senhoras que passeiam os cães

Como já aqui disse algumas vezes, o meu "transporte laboral diário" resume-se a duas viagens de 15 a 20 minutos a pé.

A ideia deste post não é irritar-vos com esta informação. Nem deprimir-vos pela hora de ponta que apanham diariamente. Nem mesmo ser aquele puto estúpido do 8º ano com aquela cara que só dá vontade de bater.

Mas eu lembro-me bem da minha professora de português. Principalmente porque quando gritava, também cuspia, por isso lembro-me bem de limpar várias vezes a cara quando ela me disse uma vez que tinha de dar sempre um contexto primeiro quando escrevia.

Uma introdução fica sempre bem.

 

Stora Cremilde, aqui estou eu hoje a evitar o seu sistema de rega.

 

Bom, contexto feito, vamos lá ao "desenvolvimento" [já estou a deixar a stora emocionada] :

 

Na ida matinal, não me deparo com o problema de hoje, mas no regresso a casa, principalmente quando me atraso um pouco mais, é frequente ter de fintar alguns seres cabeludos, pequenos e fofos e também os seus cães.

 

Falo naturalmente das donas que passeiam os seus cães, ou se preferirem, o tinder dos pobres.

Não sei se é por ter um gato, mas já travei conhecimento com mais raparigas por esta via do que onde trabalho há já uns anitos. [Sim sou informático.] Deve ser o cheiro ao meu gato que os simpáticos [alguns] cães apreciam e resolvem aproximar-se de mim. Eu como gosto dos ditos, estudo a posição deles, qual encantador de cães e se o parecer for positivo lá recebem um mimo de prenda. E, tal como no tinder, também dá para meter conversa com a dona se se der aquele match.

 

Na semana passada voltou a repetir-se. Surgiu uma rapariga com o seu cão que nunca tinha visto naquela rota de necessidades caninas.

Como a aproximação do seu canino foi brusca e meio a rosnar, talvez por isso, antes de dar o mimo, algo me tenha feito falar:

 

"Não me vai devorar, pois não?"

 

Dona: "Não, eu não! "

 

E foi aí que finalmente percebi o significado daquela cara de "Maluco do riso" para a câmera, no final de cada piada.

 

(imagem)

 

P.A



Ela apanhou o bouquet... e agora?

Calma, não é déjá vu. Não aconteceu de novo, nem estaria eu aqui assim tão descansado.

 

O problema, meus amigos, é que a hora aperta mais uma vez.

Entrámos oficialmente na nova temporada de sofrimento de namorados de raparigas solteiras de 2017, ou se preferirem, a nova ronda de casamentos das amigas que não casaram na ronda anterior.

E claro que já recebemos convites. Claro!

Claro que sim! Adoro tanto...

Na realidade eu até percebo. É o preço da fama. Afinal de contas quem não desejaria ter a Cristiana Ronalda dos bouquets no seu casamento? Tirando o facto de ser minha namorada, até lhe reconheço alguma técnica. Como disse, em pleno Euro 2016, o senhor com nome de aeroporto que até tem um busto, "Vai tu bater, tu bates bem... Tu bates bem!". Ela até tem jeito, só é pena todo aquele bullying casamenteiro que se segue, senão até teria apreciado aquele momento de outra forma e com um aplauso.

 

Bom, mas é exactamente para vos alertar, rapazes e raparigas, que a época vai começar. É hora de entrar em estágio.

Como tal, tendo eu um ano de avanço já tenho autoridade para vos praxar e chamar nomes à bruta!

Mas resolvi fazer pior que isso.

 

"Pior? Como assim?"

 

Sim pior para ti rapaz, eu encontrei algo que vos pode ajudar caso a vossa namorada apanhe o dito bouquet. Já não tens desculpas, lamento!

 

"Onde?" Pergunta a tua namorada aos pulos em cima da cadeira? Aqui minha querida! Aqui!

 

Espero que vos ajude!

 

 (imagem)

 

P.A



E pronto, acabou a brincadeira...

A conta da EDP não perdoa e deve estar para breve.

A renda está paga e o telemóvel carreguei ontem.

O IRS, esse, já o fiz.

 

Hoje é aquele dia em que a balança da realidade começa novamente a equilibrar por via dos últimos vapores do entusiasmo do fim de semana. Como se fossemos um potente Ferrari mas na reserva, sem entusiasmo.

 

O Salvador já não me faz esquecer que a Maria Leal existiu mesmo.

A lambreta do Eliseu, lembra-me apenas que tenho de ir mudar o óleo do carro.

E o centenário de Fátima deprime-me por ainda me lembrar da celebração dos 80 anos. E já dono de alguns inícios de barba na altura.

 

Volta-se aos poucos ao falar de ataques informáticos, violência doméstica, défices, estágios profissionais, contas para pagar, facturas...

Tudo outra vez... 

 

Alguém tem aí alguma coisa para a ressaca?

 

Um euromilhões mais logo, qualquer coisinha assim leve para festejar?

 

Abastecia mesmo bem este Ferrari.

 

 (imagem)

 

P.A

 

Nota: Vocês também têm uma vizinha do lado a ouvir o Salvador desalmadamente? Amar pelos dois espaçadamente ainda vá, agora para sempre e pelo prédio todo, fica chato. E eu até gosto da música, só que assim começa a criar humidade nas orelhas. E não é nada prático desumidificar isto.



E depois vem sempre a segunda-feira...

Depois destes dias em festa, chega agora a hora de retomar a rotina deixada na outra vida que tínhamos antes deste fim de semana.

Aquela vida deixada em "pause" na sexta-feira, com ou sem tolerância de ponto, em que se assistiu à chegada do Papa ao nosso país, rodeada pelo fantasma de um eventual atentado, em que os benfiquistas ainda tremiam com um eventual empate ou derrota, na Luz, contra o quarto classificado e já era bom estar numa semi-final do festival da Eurovisão.

Tudo isto acompanhado de uma tal de previsão de fim do mundo apontada para o dia seguinte, o 13 de Maio.

 

Tenho de lhe dar os parabéns, caro vidente.

 

Fim daquele mundo que conhecíamos, foi. Sem dúvida. Acertou.

 

 

Não existiram atentados. Fátima foi e sempre será símbolo de paz e harmonia para crentes/peregrinos.

O receio benfiquista foi extinto por uma exibição assombrosa na Luz, e pela lambreta do Eliseu.

E não satisfeitos ainda, parece que se ganhou a Eurovisão. Houve salvador.

 

Caro vidente, 

já que acertou no fim do mundo, digam-me lá com que cara é que entramos hoje ao trabalho neste novo mundo desconhecido?

 

É que estou, perdoem-me os aracnofóbicos, às aranhas!

 

Você que até percebe disto, ajude-me lá.

 

P.A

 

Nota: Ainda sobre o ataque informático à escala global levado a cabo na última sexta-feira [que com este fim de semana louco, ficou um pouco abafado mas ainda se encontra activo] escrevi aqui um post onde tentei desmistificar o método e como se podem prevenir.

A vinda do Papa a Portugal e a respectiva tolerância de ponto evitaram danos maiores principalmente nas nossas instituições públicas. Mas hoje, segunda-feira, ao regressarem aos respectivos computadores, caso tenham emails "inesperados", com anexos, na caixa de entrada, mesmo de contactos conhecidos vossos, confirmem primeiro a sua veracidade.

Mais informação, vejam aqui. Caso contrário, sem esta percepção, poderemos sofrer novo pico de infecção desnecessário. Partilhem esta mensagem entre vós.

 

Ah e boa sorte neste novo mundo de paz, tetra e vencedores da Eurovisão!



O melhor 13 de Maio de sempre

Vamos lá tentar explicar o dia de ontem por ordem cronológica que, embora sejam apenas 24 horas, foi muita coisa ao mesmo tempo.

 

 - Começa o dia,  inocente.  Hora de acordar, tomar o pequeno almoço, ligar a TV para ver o que se passa.

 

Temos o Papa, o líder espiritual da Igreja Católica, no nosso país a dirigir-se ao mundo. Milhões de peregrinos em êxtase!

 

- Depois de celebrada a missa, é hora de ir almoçar/lanchar.

 

O Benfica sagra-se pela primeira vez Tetracampeão. Milhões de adeptos em êxtase!

 

- Acaba o jogo. Deixa cá ligar a televisão na RTP1 que está a começar a Eurovisão. Jantamos. 

 

O Salvador Sobral ganha pela primeira vez o festival da Eurovisão. Milhões de portugueses [e não só] em êxtase!

 

 

Por fim, passa da meia noite. Mais um dia que a minha namorada não apanhou bouquet nenhum. Apenas uma pessoa em êxtase!

 

 

Seja ateu, não benfiquista ou anti-Salvador, Portugal não se vai esquecer do 13 de Maio de 2017.

 

Obrigado a todos os intervenientes! Que belo dia me/nos proporcionaram!

 

Orgulho de partilhar este pedaço de terra em festa convosco amigos!

 

Que venham mais dias destes! 

 

P.A



Quem é Quem... Que vai laborar hoje?

Não, não se preocupe. Não sofro de gaguez escrita.

 

É que hoje para mim, é um dia laboral confuso. Uma espécie de dia de ressaca depois da folia empresarial da última semana, plena de decisões patronais mais ou menos aleatórias no que trata à tolerância de ponto.

Veja estes exemplos, hoje, ao enviar um email ou ao pegar no telefone para ligar a um cliente vou-me sentir a jogar a uma espécie de "Quem é Quem" só que numa versão mais adulta. O "Quem é Quem... Que vai laborar hoje".

 

O cliente trabalha para o estado? Não.

Aproveito e viro logo 5 clientes para baixo.

Sobram só os privados. Sendo privado, fui informado que a empresa lhes daria o dia todo? Não.

Viro mais 6. Já está melhor. Sinto que estou a fazer as perguntas certas. Que jogador...

Então tem só meio dia de tolerância de ponto? Não. Viro mais 3.

Perfeito! Olho para o tabuleiro e só sobrou um.

 

Fácil.

 

Sou eu.

 

A minha tolerância sim, tem um ponto. Nada mais.

 

 (imagem)

 

P.A 



Quando encontramos dinheiro na rua

Nesta matéria, o meu saldo é claramente positivo, encontrei bem mais notas do que as que perdi. Se calhar porque, tal como nas conquistas femininas, temos a tendência de multiplicar por 3. Dói menos assim.

 

Ontem numa das minhas caminhadas observei alguém que, por sinal, teve essa sorte. E digo observei porque não foi um processo de "apanha" imediato. Mas já lá vamos.

 

Não sei se já pensaram no assunto, mas é algo que varia bastante de pessoa para pessoa.

Para alguns nem há assunto, está ali a nota e agora já não está, para outros é delineado um plano perfeito de "toque e foge" altamente cronometrado para que nada corra mal e ninguém se aperceba que acabámos de apanhar uma nota do chão. Por fim, temos um terceiro grupo que ou é muito rico ou sofredor de alguma doença reumática, em que mesmo vendo, ignoram aqueles frescos 20 euros ali abandonados.

 

Este senhor pertence ao segundo grupo. Desenhou todo ele um plano embora sem grande sucesso, como prova a existência deste post.

Amigo, perceba uma coisa, você não pode estar a deslocar-se a velocidade constante em pleno passeio e subitamente travar e estancar o seu pé direito, como se de uma âncora se tratasse, em cima de uma calçada em particular. E depois simplesmente ficar ali, em pé, parado. Como se fosse tudo normal e que era exactamente aquilo que lhe apetecia mesmo fazer naquele momento.

Digo-lhe, nem o Corcunda de Notre Dame já me parecia tão visualmente desequilibrado a avaliar pelo excesso de força que você estava a fazer numa das suas pernas naquele momento.

 

Passo então por si e como me deixou desconfiado, dei uma piscadela no seu pé-âncora e foi quando vi ali um canto maroto de nota azul a espreitar pelo seu sapato. Conclusão, andei mais uns metros, mudei de passeio e "estacionei" também, a aguardar o desfecho de tal novela.

O senhor esperou que toda a gente do passeio passasse e somente depois, num nano-segundo, se baixou, apanhou a nota e voltou a seguir o seu caminho. Ainda andou uns metros a olhar para ela, visualmente bem disposto, e somente depois a guardou.

Mas diga-me o porquê tanta novela? Será algum tipo de vergonha?

 

Afinal de contas o meu caro amigo só se baixou de cóccix bem espetado, perto de um beco com pouca luz, para logo a seguir surgir sorridente com uma nota na mão, não estou a ver que imagem errada se pode retirar daqui.

 

 (imagem)

 

P.A.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo