Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Roaming, o Bebé que cresceu das Operadoras

Imagine que eu sou dono de uma quinta e você é de outra. Eu tenho uma antena no meu quintal e você outra no seu.
Entretanto um dos meus familiares mais curioso, a dar a volta à minha quinta, entra na sua área e é apanhado pela sua antena. O chip do cartão SIM diz que ele é meu familiar e você recebe o alerta da sua antena. No outro dia vem-me tocar à campainha, a perguntar, e com razão:

"Oh amigo, afinal que vem a ser isto?"

Se você e eu fossemos, de facto, essas pessoas acredito que, em nome da boa vizinhança, conseguiríamos acordar algo como: "Olhe aqui é tudo malta de bem, vamos permitir, mas sempre controlando para evitar abusos. Não vá uma quinta ficar mais pisada que outra. E isso, claro, não podemos permitir".
 
Mas na realidade não foi bem assim que aconteceu.
 
Terá sido algo como isto:
"Oh vizinho entre lá aqui que temos de falar."
"Olhe, estive aqui a pensar nisto a noite toda e que tal cada um de nós receber uma taxa sempre que a nossa antena apanhar alguém que não é de cá?"
"Eh pá óptima ideia caro amigo! Vamos lá ganhar uns trocos os dois!" - Responde o vizinho já nada chateado.
 
E assim nasceu o bebé mais querido de sempre, o Roaming.
 
Só que ontem, dia 15 de Junho de 2017, o bebé que entretanto já é adolescente, fugiu. Fugiu de casa e mudou de nome para "Roam Like At Home". 
 
É compreensível que os pais fiquem preocupados.
 
Desde ontem que, enquanto viajar na Europa, paga o mesmo se estivesse por cá. O problema do "não me ligues" ou "não me envies SMS 
agora", "que senão eu pago um jantar no Belcanto", fica assim finalmente resolvido por esta velha Europa fora.
Para efeitos de mensagens e chamadas para a mãe, apenas para dizer "Sim, chegámos bem", ir a Amesterdão passa a ser como ir ali ao mercado do Bolhão. Na realidade, em qualquer dos casos, a nossa mãe ligaria na mesma.
 
No entanto, ninguém me tira a ideia que tal necessidade veio de um deputado europeu que por azar tem uma mãe de dedo bastante nervoso no que trata a ligar. Eles ganham bem, mas o bebé Roaming alimenta-se melhor.
 
E os namoros à distância? Esses que viam no Roaming um dos seus maiores inimigos, agora só têm de se preocupar com aquela colega dele ou dela, nativa, do trabalho, que está sempre a perguntar como se chamam os objectos típicos das Caldas da Rainha. E para que servem.
 
 
Bom, mas vamos analisar alguns pontos que saltaram à vista com esta fuga e mudança de nome do Roaming:
 
Citações retiradas deste artigo
"A partir desta quinta-feira, os cidadãos europeus pagam pelas comunicações móveis o mesmo que pagariam no país de residência enquanto viajam na União Europeia. O regulamento é apelidado de Roam Like At Home e visa baixar os preços das telecomunicações no mercado de retalho." 
 
Ora como reza um velho ditado português, "Quando a esmola é grande...
 
"Na opinião das operadoras, a medida é desequilibrada em relação aos vários Estados-membros. Alertam que Portugal recebe mais turistas do que o número de portugueses que viajam para o estrangeiro com frequência. Por isso, poderão ter de investir no reforço das redes, não estando afastada a hipótese de o custo ser passado para o consumidor final. Uma subida dos preços, a acontecer, não deverá ser surpresa." 
 
... o pobre desconfia!"
 
 
Têm toda a razão caros encarregados de educação do Roaming. Concordo. Como disse, claro que devem estar preocupados.
 
Então estes anos todos de Roaming em que estiveram, alegadamente [adoro esta palavra], a receber exactamente essas taxas a mais que os restantes países, porque os portugueses não viajam tanto e Portugal tem bem mais turistas, desapareceram? Não foram investidas na quinta? É que mesmo com esse extra que o Roaming dava a Portugal, mesmo assim, ainda somos actualmente quem tem dos tarifários mais caros da Europa. De facto faz sentido estarmos todos preocupados.
 
E há outra parte que concordo plenamente convosco. Estando esta medida em negociação há 10 anos, sim, 10 anos, são apanhados de surpresa ao ponto de terem de recorrer à primeira medida conhecida: Aumentar os tarifários?  Dez anos de planeamento/gestão reduzidos a uma decisão de "Ah o Joãozinho tirou-me a bola, agora ...."
 
Va lá, deixem o rapaz crescer.
 

Caro Roam Like At Home, boa sorte. Espero que dês um bom adulto.
 
 

 
P.A

E fazer like na página do facebook, não?

O Salvador da Eurovisão?

É verdade.

Este ano sei e até estou a escrever sobre um programa que só sabia que já tinha terminado quando eventualmente lia/ouvia algo sobre o seu vencedor. É que com o passar dos anos fui percebendo que para ouvir músicas vencedoras da Eurovisão, bastava-me ir ao Urban. Não tinha de esperar um ano pela próxima rodada. Além disso, o Urban tem menos mulheres barbadas. Algumas, mas menos.

 

Mas o que mudou?

Este ano temos um Salvador. Um Salvador musical e isento de remixes. Resta saber se conseguirá plantar sobreiros emocionais suficientes para garantir um vasto Sobral de votos Europa fora. Algo que para alguém que até então era praticamente desconhecido do grande público e agora, embora debilitado, se apresenta num nível elevado de popularidade, é um forte indicador de conquista.

 

Eu sei que a música é o grande alvo de análise. Já li, desde o começo, diversas opiniões. Mas expliquem-me como é que eu digo agora à namorada que apanhou o bouquet que temho de ir ali ao Urban? Cultivar-me, porque não vi a Eurovisão? Que só lá ia porque a música que lá toca é daquelas que é sempre aprovada por maioria Europeia e que até ia contrariado porque nem gostava muito do ambiente? Pois é. Assim já não posso.

Meus amigos, que fique claro, não podem levar uma música destas à Eurovisão. Agora vou ter de ficar em casa, fechado, pela primeira vez nos últimos 15 anos a ver a Eurovisão [pelo menos a nossa música].

Isto tem algum sentido? Estragam-me os planos, sem necessidade.

 

Vá lá, façam lá um remix europeu disso, como a malta gosta, vá.

 

 

P.A 

P.S - O Salvador conquistou-me. Confesso. No entanto não foi só pela música ou pelas características pessoais, ditas normais, que tenho lido por aí, resultado das suas recentes entrevistas. Ele, mesmo antes de cantar, já está a representar o nosso país. A encarnar o verdadeiro português.

Salvador, se estiveres a ler, és o verdadeiro TUGA rapaz! Que mestre foste a olhar para a senhora que passou enquanto te estavam a entrevistar na red carpet! Uma questão de prioridades, claro. No ponto rapaz! No ponto!

A tua irmã é que não sei se adorou tanto!

 

Abraço e força aí em Kiev!

 

salvadorSobral.png

(imagem)

 

Podem ver o vídeo completo do Salvador, irmã e senhora jeitosa, aqui.

 


E fazer like na página do facebook, não?

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo