Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Cuidado quando te levantas

Caríssimos,

 

Hoje venho falar-vos de um tema fracturante nas relações entre casais. Em particular, de uma frase temida por qualquer um dos seus intervenientes.

 

Deixem-me só contextualizar melhor a cena:

 

Tudo começa com os dois elementos da relação sentados no sofá.

Estão a imaginar? Tudo ok, ambos felizes, a conversar, a rir, a ver TV. Amorosos.

Bem, na realidade, nem devem estar a falar um com o outro. Devem estar os dois ao telemóvel, cada um na sua vida, mas isso é material para outra conversa.

De repente, um deles, seja por necessidade fisiológica, seja por outro motivo qualquer de força maior, levanta-se.

Então não é que no micro-segundo seguinte surge, imediatamente, esta frase:

 

"Já que estás de pé..."

 

Só ouvimos esta parte e já estamos a revirar os olhos! 

Mas esperem.

Este início de frase pode ter vários significados e fins. A gravidade da situação está directamente ligada a outra variável do casal:

Há quanto tempo estão juntos

 

É que das primeiras vezes, tudo bem, é só um copo de água, mas depois já é um bacalhau com natas ou as compras do mês todo!

E nós só íamos fazer a porcaria de um chichi rápido!

 

Se a necessidade fisiológica for controlável, mais vale não correr riscos e ficar no sofá. 

Aqui acho que os rapazes estão fisiologicamente melhor adaptados para uma maratona de greve urinária lá em casa.

 

Por isso, meus amigos, aguentem.

 

Se estiverem em casa, sentados no sofá, com a vossa companheira ao lado, a ler este post, aguentem forte! 

 

Olhem para ela e sorriam, mas por baixo desse sorriso, pensem, hoje quem faz o bacalhau és tu!

 

 

P.A.

(Ah.. e consultem regularmente o vosso urologista também)



Dica de Natal - A pior prenda do mundo. Como agradecer?

É verdade, já deu para perceber não deu?

 

Esta semana, todas as rubricas vão ser natalícias 

 

Acabou por ser esta dica de Natal que me deu a ideia para tornar esta semana, no blog, diferente.

 

Estava eu a pensar nos Natais passados e surgiu-me a ideia..

"Epa.. uma coisa que dava jeito.. era mesmo um manual com umas dicas para disfarçarmos que aquela é mesmo a pior prenda de sempre!"

 

Podem descansar.

Aliei a minha experiência pessoal em receber e dar más prendas com alguma informação online e apresento-vos agora 3 momentos importantes por forma a que consigamos sair sempre bem na fotografia e sem magoar os sentimentos da outra pessoa que tanto gostamos.

 

Para começar, vou só pedir que se coloquem na seguinte situação:

 

"Chegou a hora de abrir a prenda. A pessoa que nos ofereceu está à nossa frente e já abriu a nossa. É uma pessoa muito próxima de nós, mais velha e que está a olhar-nos comovida, a aguardar que a imitemos. Bolas avó, não devias estar a ler isto!

Abrimos... e aqui dou-vos à escolha:

Meninas: espuma de barbear ou uma balança com capacidade máxima de 500 kg

Meninos: batom verde ou suporte de guardanapos  (ou meias...não sei se já vos tinha falado disto..)

"

 

Temos então 3 momentos:

 

1 - O pré-prenda. Aqui ainda não sabemos o que esperar. Um capítulo que muitos desconhecem é que a nossa pior cara de desilusão surge quanto menos tempo tivermos para perceber o que raio acabou de acontecer! Abrimos logo e é um choque impossível de controlar!

Então demorem! Demorem a abrir! Devagarinho, para tentarem perceber o que está lá dentro e, ao mesmo tempo, ir encontrando outros motivos positivos a que nos agarrar..

Mas não demorem 2 horas...

Uns segundinhos extra, basta.

Pessoalmente, já consegui agradecer uma não prenda, mentalizando-me apenas que o embrulho era fantástico...

 

2 - A pior prenda do mundo. O primeiro segundo entre o nosso olhar e a "prenda". A fase mais crítica de todas. Mesmo demorando alguns segundos extra a abrir, podemos, mesmo assim, não estar preparados para aquela prenda.

Aqui o segredo é enganarmos o nosso cérebro. Como?

Só precisam de ter a seguinte frase, em loop, em mente "Eu vou agradecer-lhe por esta prenda. Lembrou-se de mim, fez esse esforço!"

Mas não demorem muito tempo a processar a frase, temos outra pessoa a olhar para nós mesmo à nossa frente!

Mal tenham acabado de abrir, o vosso foco estará apenas no agradecimento. Assim, a vossa intenção/reacção irá ser de acordo com essa análise e não com a "prenda" que, se correu bem este passo,  já nem se lembram qual é neste momento.

E mesmo quando a outra pessoa disser: "Gostaste, meu querido?" Não cedam agora!

Novamente "Eu vou agradecer-lhe por esta prenda, lembrou-se de mim", ou seja "Sim! Obrigado! Gostei muito! Avó!".

 

3 - O pós-prenda. Muita gente desvaloriza este momento.

Já demorei a abrir, consegui antever que era algo que não ia gostar? Sucesso

Quando a vi só pensei em agradecer e já nem me lembro bem o que era? Sucesso

Não fiquem já de peito inchado!

É aqui que, muitas vezes, e mesmo tendo passado com sucesso nos dois primeiros, acabamos por dar pistas que não gostámos.

Devemos evitar a todo o custo colocar algumas palavras na frases seguintes a abrir a prenda, nomeadamente:

  • OLX
  • Leilões online
  • Lixo
  • Arrecadação
  • Pior prenda do mundo

Ou mesmo falar sobre algumas novas modas que agora andam por aí como:

  • Reoferecer prendas de Natal
  • Li um post de um P.A. que dizia como reagir a abrir aquela "prenda"

 

Se chegaram a esta parte, Parabéns! Estão, neste momento, melhor preparados para receber uma mão cheia de não prendas sem pestanejar!

 

Boa sorte! E gosto muito de ti avó!

 

Sem Títuloprenda.jpg

 

 

P.A.



Dica da Quarta - Como ele compra a prenda de Natal dela!

Caríssimos,

 

amanhã entramos já no mês de Dezembro e vocês podem não saber, mas o dia de amanhã é um dia marcante para mim. E não é por ser feriado!

 

Vou tentar explicar-vos como é que nós (acredito que mais rapazes funcionem assim também), percecionamos todo este processo.

 

Tudo vai começar amanhã.

Hoje ainda estou descansado e por isso consigo escrever sem me sentir pressionado, mas amanhã já sei que todo um processo se vai iniciar...

 

Tratam-se de 5 marcos, 5 alterações do nosso comportamento.

 

Primeiro marco - 1 de Dezembro a 7 de Dezembro

 

Chegou Dezembro. É o primeiro sinal que o Natal está aí mesmo à porta e, como tal, começa a chegar o momento em que começamos a pensar que prenda de Natal devemos comprar para Ela.

Então começamos a ouvir uma mensagem de alerta, relativamente suave, em loop, de 6 em 6 horas na nossa cabeça, que nos diz algo como:

 

"Olha P.A. vê lá se tratas de saber que prenda é que ela quer e já agora compra com tempo, não faças como no ano passado!"

 

Eu até acho fantástico termos este relógio que se liga automaticamente, embutido no nosso ADN. No entanto, o nosso problema nem é este. Vem depois.

 

O problema é que, embora tenhamos evoluído com estes sistemas internos de alertas para não nos esquecermos de comprar a dita prenda, incluímos também uma opção extra.

Esta opção, para perceberem, é muito parecida com o nosso despertador que toca de manhã.

Qual é a primeira coisa que vão fazer logo quando ele toca?

Exatamente. Calar o menino.

 

O rapaz faz exatamente o mesmo. Mentalmente calamos o despertador com uma espécie de  "ok já te ouvi, mas ainda dá para esticar mais um bocadinho...".

 

Uma vez chegado a este momento, já não há volta a dar.

Entrámos no ciclo.

A partir de agora passamos os próximos dias em conflito interno.

Por um lado temos o nosso ADN a bombardear informação de alerta, por outro temos o nosso braço mecânico mental a clicar no botão de silêncio para calar o despertador.

 

3% dos rapazes não aguentam este conflito inicial e compram a prenda logo no primeiro marco.

 

 

Segundo marco - 8 de Dezembro a 14 de Dezembro

 

A nossa mensagem de alerta do despertador muda e passa a ocorrer de forma mais célere, de 4 em 4 horas. Agora passamos a ouvir algo como:

"Caraças, já estamos no segundo feriado de Dezembro.

Já passou uma semana e eu não fiz nada. Meu Deus! Tem de ser esta semana!

Desta não pode passar!"

 

Mas perante novo marco, temos também novo botão de silêncio adaptado:

"Calma. É só dia 8. Faz lá as contas, faltam 16 dias, mais de duas semanas, ainda! Sem stress, rapidamente arranjas aí um dia esta semana e fica resolvido."

 

7% dos rapazes cedem perante o segundo marco e compram a prenda nesta semana.

 

 

Terceiro marco - 15 de Dezembro a 21 de Dezembro

 

A mensagem do despertador volta a mudar.

Como as anteriores não funcionaram, no nosso ADN sente necessidade de alterar algo, passando a ocorrer agora de forma ainda mais célere, de 2 em 2 horas. Além disso, adopta uma abordagem bem mais agressiva e pessoal:

 

"Hoje já é dia 15?? Faltam só 10 dias??

Eu não faço ideia do que hei-de comprar, quanto mais comprar mesmo!!

SOCORRO!!

Estás bem entalado estás!

Mas porque é que deixaste isto chegar até aqui P.A.? És sempre a mesma coisa!! Não ouviste os meus avisos!!??"

 

Mas, mais uma vez, temos o botão de silêncio novamente adaptado em conformidade:

"Calma. É dia 15. Não é dia 24! Não é caso para tanto pânico. Faz lá as contas, faltam 9 dias, mais de uma semana inteirinha, ainda! Só precisas de um dia para tratar disso, ainda te sobram 8."

 

É normalmente nesta semana, de dia 15 a 21 de Dezembro, que 59% dos rapazes cedem e compram a prenda.

 

 

Quarto marco - 22 de Dezembro a 23 de Dezembro

 

Chegamos então ao marco dos rapazes com alguma robustez psicológica.

Aqui o nosso ADN percebe que nem mesmo aquele tipo de mensagem ameaçadora do terceiro marco, está a resultar, então foca-se num comportamento pessimista, deixando de ocorrer em loop, ficando o macho num estado de espírito derrotista constante:

"Não vais conseguir comprar. Já não tens tempo. 3 semanas de alertas não serviram de nada. 

Perdeste a tua chance. Bela figura que vais fazer.

Quero ver o que lhe vais dizer quando ela vir que não há prenda nenhuma."

 

Mas, incrivelmente, também aqui temos o botão de silêncio novamente adaptado:

"Calma. Não te deixes ir abaixo. É dia 22. Ok, passaram 3 semanas, mas tens 2 dias. Se não fores hoje, ainda tens amanhã."

 

22% dos rapazes ficam por aqui e compram a prenda neste marco.

 

Quinto marco - Dia 24 de Dezembro

 

Aqui, Darwin explica.

Só chegam ao quinto marco, os machos psicologicamente mais aptos. 

Chegámos à véspera de Natal sem prenda! Não é algo absurdamente fantástico?

 

Neste período deixa de existir uma mensagem de alerta, ou comportamento pessimista. Passa a existir um pensamento constante. Destruidor. Obsessivo.

Todas as funções físicas e psicológicas do macho estão orientadas num só objetivo. Comprar a prenda.

Necessidades básicas, como comer, dormir, olhar para os bolsos de trás das calças de outras raparigas, Benfica, tudo desaparece!

Apenas nos focamos, em loop, nas memórias que temos da rapariga e do que ela gostava de comprar. E quando finalmente elegemos a prenda vencedora. Chegamos à loja e está esgotado. Obviamente!

 

Plano B - São 17 horas de dia 24, estamos num shopping, o plano A acaba de falhar, lembramo-nos rapidamente de uma segunda prenda e tentamos mais uma vez. Felizmente esta ainda está disponível. Fantástico. Foguetes são lançados na nossa cabeça. Já há Benfica outra vez! 

Hora de voltar a casa.

Entrar no elevador do shopping, olhar para o lado e ver outros machos com prendas na mão.

 

Parabéns! Cumprimentem-se rapazes! Safaram-se este ano!

 

Fazem parte dos 9 % que faltam.

 

 

Infelizmente, passei já por todos estes marcos o ano passado.

 

Serviu-me de lição. Este ano vou comprar mais cedo.

 

Às 12 horas de dia 24.

 

cartoon-nervous-white-boy-carrying-a-shaky-stack-o

 

 

 

P.A. 



Dica da Quarta - Que esta história vos ajude

Hoje não tenho uma dica para vos dar, pelo menos não da forma habitual como tenho feito...

 

Hoje tenho um exemplo de como algo que, até já alertei neste blog, nos pode de facto vir a acontecer.

 

Uma pessoa pensa...

 

Só acontece aos outros.

Eu tenho cuidado.

Eu estou sempre atento, não me vou deixar apanhar.

Até já alertei para isto!

 

E eis que, quando nada o justifica, tudo acontece num segundo. Não temos tempo para pensar, simplesmente acontece.

 

Pois é, tudo começou num lanche, num lanche no Colombo.

Um convite inocente, que ninguém iria prever este desfecho.

 

O problema nem foi bem o lanche. Foi depois.

Acabamos de comer. Levantamo-nos e sigo roboticamente, como os rapazes fazem em modo shopping, o percurso selecionado pelas meninas. Tínhamos conversado à mesa. Combinamos ir embora. Então segui, segui, e, sem perceber, ao invés de me estar a dirigir para uma saída, estava a dirigir-me para outro lado.

 

O primeiro sintoma de que algo poderia vir a correr mal foi este:

 

2567675220732102484-account_id=1.jpg

 

Foi o primeiro choque, mas mesmo assim, não acreditei, até porque não estava nos planos. Ainda agora tinhamos falado em ir embora. Era seguro, claro!

 

Eis que oiço então, do nada, uma frase:

"Olha vou só ali à Primark.."

 

Os meus sistemas começaram a falhar.

Os suores surgiram. Seria verdade??

Estaria eu em risco de fazer parte daquele grupo que, ainda há umas semanas, alertei e pedi uma onda de solidariedade?!

Não é possível! Isto não acontece assim!!

Eu não me deixo levar assim tão facilmente!

Calma!

Respira!

 

Quando terminei este raciocínio, elas já tinham entrado.

 

Eu fiquei.

Fiquei ali. À porta.

Certamente devem ter-me perguntado se queria entrar com elas.

Paralisado, não ouvi.

 

Que faço agora? - Pergunto-me eu.

 

Olho para trás e vejo o olhar de reconhecimento de outros machos que outrora foram alphas dominantes. Olho para a frente e tenho uma visão infernal de roupas amontoadas e pessoas por todo o lado a vasculhar tudo. Elas tinham ainda agora entrado e já nem as conseguia ver.

SOCORRO! Como é que eu vim parar aqui!?

 

Tenho de recuar. Não consigo avançar.

Volto a olhar para trás e sou novamente confrontado com aquele olhar de solidariedade masculina.

Eu consigo! Tento avançar mais uma vez.

O meu corpo não me obedece!

Que se passa??

Percebo então que não fomos, na nossa essência, programados para entrar nestes ambientes.

Tenho de aceitar o meu destino.

Caí na teia.

 

Recuo e olho envergonhado para os machos que lá estão. Fazemos um ligeiro cumprimento/lamento com o queixo, em homenagem à nossa masculinidade perdida. Aproximo-me. Alguém cede um espaço por entre uns ferros para que eu me consiga encostar. Um gesto bonito. Solidário.

 

Aceitaram-me.

 

Passei, oficialmente, a fazer parte deles...

 

P.A.



Dica da Quarta - Como evitar que a sua parceira adormeça a ver filmes consigo

Já que o tema deste post é meio cinematográfico, digam-me lá se já viram este filme alguma vez:

 

(Eu já o vi mais vezes que o "Sozinho em casa" deu na televisão!)

 

Um casal resolve ver um filme em casa

 

Sofá. Filme a começar. Felicidade no olhar de ambos.

10 minutos depois

Sofá. Filme com 10 minutos. Felicidade no olhar dele, 50 quilos de pesar no olhar dela.

5 minutos depois

Um corpo em cima do rapaz (ou seja 1/4 de sofá). Filme com 15 minutos e uma decisão para tomar:

 

"E agora?"

Momento de decisão

Tentamos reanimar a donzela? - até pode resultar uma, duas vezes, mas não aconselho.. acabamos por ter de estar sempre a repetir este ponto e não vemos o dito filme! O meu record de pós-reanimação nunca deu para ela aguentar mais de 10 minutos...

A sério, adorava saber o segredo do beijo do Príncipe da Branca de Neve! Se calhar, é só mau hálito..

Já para não falar que, em caso de sucesso, corremos o risco de receber aquele BOM acordar que elas NUNCA têm!

 

Humm.. se calhar passamos ao plano B, aceitamos a situação e tentamos colocar-nos numa posição de equilíbrio - entre manter aquele corpo alheio seguro e, ao mesmo tempo, termos um bom ângulo de visão para o filme. Uma espécie de faça yoga você mesmo, mas no sofá.

 

Inevitavelmente, mesmo que arrisquemos a primeira opção, elas acabam na posição peixe e nós na elefante evoluído.

 

Não há volta a dar! Pelo menos pensava eu...Até que a terceira alternativa veio mesmo contra mim. E eu, claro, não me desviei.

Ora bem, a coisa até é bastante simples. Requer apenas algo que a vossa parceira goste bastante. (mais do que nós, aparentemente!)

Estava eu já cansado de ora ser um elefante evoluído ou de andar perdido no loop da reanimação, quando, de repente, me lembrei que tinha ali guardada uma embalagem de pipocas...

Só disse algo como: "Acho que temos ali pipo.."

Ela abriu logo os olhos!

 

EUREKA!!

Fez-se luz na minha cabeça!!!

 

Saquei do bloco de notas e comecei logo a apontar!

 

Analisei cada passo, cada comportamento e desenhei o plano!

 

Descobri então que cada 100 g de pipocas, fazem com que o sono outrora incontrolável seja suportado por cerca de 20 minutos mais, de pestana bem aberta! Desde então, yoga passou a ser um estilo em vias de extinção por este sofá.

Por isso, meus amigos, quando estivermos no hipermercado, só temos de ter em mente que, dependendo do filme que vamos escolher para mais logo, temos garantir cerca de 300 g de pipocas por hora!

 

Esta média inclui também o consumo do elemento masculino, claro! Íamos ficar a ver-vos a comer tudo sozinhas, não?

 

Mas cuidado! Com o entusiasmo todo, não ponham logo as pipocas todas de uma vez... A SÉRIO! Vão por mim. Altera a média..

 

E pronto, agora deve ser mais simples perceber porque tive de vender a minha coleção de "Power Rangers", para poder ver o "E Tudo o Vento Levou" (4 horas de filme) com ela..

 

MAS RESULTOU! 

 

 

 

P.A.



Dica da Quarta - "O que estás a pensar?"

Pergunta simples, não é?

 

"O que estás a pensar?"

  

Na verdade, NÃO!

 

NÃO É!

 

Esta pergunta está certamente no top 10 das perguntas que deixam um rapaz mais atrapalhado.. e porquê? Perguntam as meninas?

 

Porque não estamos geneticamente preparados para responder como esperam...

 

Reparem bem..

 

Das duas uma:

estamos atentos à conversa, mas toda a nossa alma nos obriga a ser sinceros e responder, provavelmente, com uma resposta que consta no top 10 das piores respostas que se podem dar a raparigas:

 

"O que estou a pensar? Em Nada.."

 

as vossas pupilas começam logo a dilatar!!!

Mas nós conseguimos mesmo pensar em nada!!

 

Ou então, se ela está a perguntar isto quer dizer que muito provavelmente já se apercebeu que nós deixámos de ouvir há 4 frases atrás, exatamente no instante em que começou a dar algo futebolístico na tv.. É automático, não é por mal!!

E obviamente... ESTAMOS EM SARILHOS!

 

Temos de agir rápido e não suar!

Ela está a olhar. Ela está à espera de uma resposta fácil e relacionada com o que acabou de falar! E nós a ZEROS!!

Só me lembro que o golo era mesmo fora de jogo!!

SOCORRO!

Calma.

Concentra-te!

Não podes respirar fundo porque ela nota! Concentra-te só!

Fora de jogo!!

 

Felizmente pertenço ao grupo dos rapazes que conseguiram desenvolver um mecanismo que guarda sempre automaticamente as ultimas 2 palavras que alguém disse antes do "O que estás a pensar?". Pois bem, desenganem-se os que acham que chega! Se a rapariga terminar as frases com questões, não dá para safar.. porque só nos vamos lembrar de algo como: "não achas?".

 

"NÃO ACHAS?" 

 

E QUE FAZEMOS NÓS COM ISTO? DIGAM-ME??

 

SOCORRO!

 

Então qual a solução, perguntam vocês?

 

Simples.. Lavar a loiça por 5 dias.. costuma resultar comigo...

 

P.A.



Dica da Quarta - Homem vs Mulher - Que (cor) dizem os teus olhos?

Caríssimos,

 

No meio deste universo de diferenças entre pessoas, a comunicação é uma arma fundamental para conseguirmos (sobre)viver nesta selva cheia de diferentes personagens que somos!

 

Hoje, a nossa dica da quarta, vai focar-se num ponto muitas vezes ignorado, mas provavelmente destruidor de algumas relações! E não, não é a história do tampo da sanita que ele deixa sempre para cima! Esse fica para outra quarta!

 

É apenas a resposta a uma simples questão - De que cor é isto?

 

Meninas (de modo geral) - Por favor, tentem fazer este esforço, da mesma forma que aprenderam outras línguas, tentem agora perceber como os homens percecionam as cores com a seguinte imagem:

 

Untitled.jpg

 

 

 

Se virem bem até facilita, a probabilidade de mandarem um nome ao calhas e acertarem na cor que ele diz, é bastante elevada!

Imaginem no primeiro encontro..  uma rapariga que diz apenas verde ou rosa é incrivelmente afrodisíaco para o homem, toda a gente sabe disto..

 

Meninos(de modo geral) - Epa, é mais complicado para nós porque tem ali uns nomes esquisitos que não fazem sentido nenhum e mais parecem um nome que alguém que não gosta do seu cão, lhe deu! Eu sei.. mas não custa nada fazer o download disto e ficarem com a cabula para sempre que ficarem aflitos...

 

Imaginem no primeiro encontro.. querem melhor forma de impressionar? Ela manda a dica e nós, claro que sim, fica ali entre o hortelã e o verde floresta!

Impossível de resistir!!

 

Tentem é não dar muito nas vistas, nem parecer que são portadores de algum problema físico, ao tentar ver, "sem dar nas vistas",o smartphone! Não que eu já tivesse feito isso, claro...

 

Claro que não!

 

P.A.

 



Dica da Quarta - Caminhar na rua e (não) salivar por mais..

Aviso: A dica/indignação de hoje pode fazer-vos ter de imaginar algo não muito bonito.. por esse motivo peço que, caso escolham continuar a ler, estejam já preparados. Obrigado. 

 

Eu avisei...aqui vai..

 

Caminhar na rua sempre foi uma experiência particularmente "rica" para mim...

 

O problema deste "rica", é que pode ser vista de várias formas.

 

A última que vivi, envolve alguns ingredientes que deixo aqui para se quiserem tentarem vocês mesmos:

 

  • boa capacidade de perceção, principalmente quando começamos a ouvir um som suspeito..
  • reflexos apurados, quando nos apercebemos que podemos vir a ser atingidos por algo..
  • alguém por quem vamos a passar que esteja com "impressão" na garganta (mais importante e relativamente comum por cá)

 

Pois bem! Senhor que eu não conheci! Por favor! Mas por favor mesmo! Se está com impressão na garganta OLHE antes de expetorar para o chão!!

 

Pode lá estar alguém a passar na hora errada!!

 

E sim. Estou bem.

 

Desta experiência só resultou mesmo a sugestão de dica..Graças aos dois primeiros ingredientes foi possível sair ileso 

 

Espero que vocês possam dizer o mesmo...

 

 

 

 

P.A.



5.1 dicas para apanhar (quase sempre) o bouquet da noiva! E sem grandes vergonhas..

Pois bem..

 

Numa das minhas pesquisas, encontrei uma espécie de roteiro com dicas, algumas delas até muito interessantes, para que se consiga apanhar (quase sempre) o bouquet da noiva..e principalmente(!) sem grandes vergonhas...

 

Ora..aqui tinha duas hipóteses..ou fazia um manual inútil com todas as coisas que não se devem fazer, mas acho isso nem ia acrescentar muito ao que já conhecem nem seria muito relevante para vocês, ou então enumerava algumas dicas que até podem ser realmente úteis para quem queira viver num mundo onde as namoradas apanham sempre o bouquet...

 

Eu nem acredito que acabei de escrever isto.

 

Só espero não me arrepender... mas.. vou optar pela segunda..

                          

Mas calma! São apenas 5, não vos vou fazer a papinha toda, claro:

 

*Dica nº 1 - Não cai não

Se optaram por um vestido caicai, por favor, tenham muito cuidado.. Existem muitas variáveis que não controlam e podem até apanhar o bouquet, mas o foco da fotografia do momento poderá ser outro..

*- Acho esta fantástica! Apesar de nunca ter pensado sobre isto, do ponto de vista masculino, esta dica até poderá ser considerada como opcional.

 

Dica nº 2 - Cuidado com o Microfone

Se estão solteiras e a noiva é muito vossa amiga, por favor, corram de imediato para o grupo!! Porquê? Perguntam vocês?

É que se não o fizerem..restam-vos apenas alguns segundos até que a vossa amiga noiva comece a gritar o vosso nome ao MICROFONE...

Tão bom! Deve ser a melhor sensação do mundo!!

 

Dica nº 3  - A posição

Se querem mesmo muito apanhar o bouquet, fiquem na primeira fila, a probabilidade de o bouquet passar da primeira barreira de braços no ar é relativamente baixa.

Acredito que isto seja particularmente verdade, quando aquela nossa amiga a que chamamos inofensivamente de "Marianazinha", de 2 metros, resolve ficar na primeira fila...

 

Dica nº 3.1 -  A posição, com um detalhe 

Este detalhe é maravilhoso! E requer alguma investigação!

Se souberem se a noiva é destra ou canhota coloquem-se no centro da primeira fila mas descaindo mais para o lado oposto ao do braço dominante da noiva..

Que cenário bonito...Tudo a pedir autógrafos à noiva!

 

Dica nº 4 - O salto alto 

Se estiverem de salto muito alto, tirem os sapatos! Terão melhor impulsão se estiverem descalças ou com outro tipo de calçado. Além disso, torcer o pé também pode ser um bocadinho desagradável..

De facto, seria uma felicidade repartida entre a mão que segura o bouquet e a que segura a canadiana, para se deslocarem.

 

 

Dica nº 5 para as raparigas - A mais importante de todas

Por favor! Nunca digam ao vosso namorado que eu vos disse isto! Nunca! 

 

Dica nº 5 para os rapazes - Não leiam as anteriores. Quer dizer, a primeira podem ler..

 

 

11-Wedding-bouquet-catch.jpg

 

 

 

 

E pronto..ficaram finalmente a saber as 5.1 dicas que a minha namorada utilizou para apanhar o bouquet..

 

Boa sorte..?

 

P.A.

 



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo