Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

A minha namorada apanhou o bouquet

Um local de paz e reflexão, mesmo tendo ela apanhado o bouquet.

Super Nanny - a encantadora de crianças da SIC

Estreou na semana passada, na SIC, o novo programa de domingo à noite. E as redes sociais explodiram.

Explodiram ao ponto de que mesmo sem ter assistido, tenha ontem carregado no botão 3 do telecomando para perceber afinal do que se tratava.

 

Assisti.

 

O nome poderia ser confundido com um qualquer detergente de loiça, mas na realidade uma gota de Super Nanny não tira gorduras, nem nódoas de chocolate. Pelos vistos, o seu "super" inflama e incomoda muita gente. Mas a fórmula até é bastante honrosa: Educar crianças.

 

O problema é que na realidade é mais um educa adultos e envergonha crianças. Com usos e abusos de sonoplastia e edição de imagem duvidosa, o programa acaba por expor essencialmente a sua vertente de reality-show e não se foca nos mandamentos da Super Nanny que conduz um Mini. O que nestes tempos em que o bullying anda tanto na moda, a Super Nanny acaba por ser aquela desculpa que todas as crianças aguardam ansiosamente para poder gozar com outra. Antigamente ainda era preciso fazer alguma asneira em público ou ter o azar de arreliar algum bully da turma, agora temos um programa para isso.

Receio por aqueles que vão ser para sempre o rapaz ou a rapariga da Super Nanny desde o teste de português da quarta classe até ao CV que alguém irá ler em 2040 e procurar na internet antes de recrutar.

Mas nem tudo é mau.

Eu por exemplo, por ter nascido nos anos 80, nem um vídeo desfocado meu tenho. Só umas fotos minhas bem comportado. A rir. Ou a urinar na praia.

A rir.

Estas crianças têm câmeras topo de gama a gravar em 4k ou Full HD. Eu também gostava de ter tido. Até porque as poucas memórias que tenho da minha infância de mal comportado em público resumem-se à minha avó a dizer-me ao ouvido: "Em casa falamos...". E um arrepio tomava conta de mim.

 

E mais tarde, um chinelo.

 

No fundo, o principal problema deste programa é ser um programa.

Efectivamente a prática de alguns conceitos apresentados faz sentido. E ajuda os pais pelo menos na maioria dos casos. Digo pelo menos, porque nem todas as crianças são iguais. O problema é estarmos a falar de uma câmera a filmar para uma televisão nacional.

A Super Nanny era realmente super se apresentasse apenas conceitos e não vendesse imagens. E este segundo episódio reforça ainda mais esta ideia.

 

De resto o programa segue o mesmo fio condutor de um outro programa da gama SIC, muito amado por todos. É de facto muito ténue a linha que separa uma encantadora de crianças de um encantador de cães.

 

A SIC, pelo menos, acha que sim.

 

 (imagem)

 

P.A


E fazer like na página do facebook, não?

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

32 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Queres mais conteúdo do bom? Segue-me no Bloglovin que eu depois digo-te onde.

Arquivo